Baixar App hot
Histórico

renata medeirosM

68 Livros Publicados

Livros de renata medeirosM

Seu mundo ideal.

Seu mundo ideal.

Desembarquei em Las Vegas ainda sem acreditar na reviravolta que minha vida tinha acabado de dar. Eu iria participar do The Ultimate Fighter, maior reality show de UFC da porra do planeta. E ia ficar dois meses sendo treinado pelo próprio Jon Jones. O cara era não só era um dos meus maiores ídolos como também era pica para caralho, só havia sido derrotado no octógono uma única ocasião. De bônus, ainda pisaria fora do Brasil pela primeira vez. E logo na Cidade de Pecado. Não tinha como combinar mais comigo. Eu sempre lutei, desde criança. Comecei no judô com 5 anos de idade e de lá até a adolescência passei pelo muay thai, jiu jitsu, boxe e capoeira. Além de, claro, uns treinos ocasionais dando porrada nos filhos da puta que implicavam com a minha irmã na escola. Eles sempre chegavam confiantes acreditando que como eu era mais novo, seria fácil me derrotar. Se fodiam. Mas foi quando ingressei na faculdade de jornalismo que passei a me dedicar ao treino de forma profissional. No meu primeiro semestre, numa Chopada, conheci meu parceiro e irmão de vida, Edu. Ele na época era meu veterano do quinto período. Toda a nossa interação aconteceu basicamente porque ele queria pegar uma garota, mas ela disse que não deixaria a amiga sozinha.

Ler agora
Meu CEO

Meu CEO

O problema é que o estranho não é tão anônimo e, pior, é o novo CEO da empresa onde ela trabalha. Ian não é o mais simpático dos homens e todos odeiam sua arrogância, mesmo sendo novo no trabalho. Depois que esbarra em uma mulher na rua, ele não imagina que sua vida ficará de pernas para o ar. Ao receber de volta o celular que achava ter perdido, começa a receber mensagens de uma anônima que não tem papas na língua.

Ler agora
Uma  noite de prazer

Uma noite de prazer

Atenção: pode conter gatilhos. Aviso: O Dono do Texas, livro 1 da série Alma de Cowboy, é um volume único. Por ser com casais diferentes, cada livro da saga pode ser lido separadamente, mas é provável que o anterior contenha spoilers do seguinte. Hudson Gray, conhecido como o Dono do Texas, chegou à conclusão de que ter muito dinheiro não bastava. O bilionário arrogante não quer ser apenas um dos homens mais ricos dos Estados Unidos, ele quer o poder. Para isso, ordena à sua assessora que trabalhe no que for necessário para transformá-lo no próximo governador do estado da estrela solitária[1]. O único problema, é que o CEO de conduta impecável em breve terá uma surpresa. Uma noite de prazer o levará diretamente a um relacionamento inesperado. A todos aqueles que como eu, amam uma história de um cowboy.

Ler agora
MEU DELEGADO

MEU DELEGADO

Valentina Torres Encolho as pernas abraçando os joelhos, apoio minhas costas contra o azulejo frio da parede. Fecho os olhos sentindo a ardência das lágrimas que descem por meu rosto. Só peço que pare, por favor. Mais, socos na porta me fazem pular assustada, amedrontada. — Por favor, por favor, pare Spencer — imploro. — Vadia desgraçada. Abre essa porta Cindy. — Socos, e mais socos. Sinto algo pingando, abaixo a cabeça e vejo as gotas de sangue manchando o chão de vermelho. Deslizo a mão limpando minha boca, e a vejo suja com as evidências de mais uma maldita noite. — Spencer, por favor — suplico, em meio às lágrimas. — Eu vou te matar, sua puta — grita alto. Com um último pontapé a porta se abre. Alucinado e fora de controle, ele entra no banheiro vindo diretamente em mim. Seus dedos enrolam em meus cabelos e os puxam me levantando do chão. Posso ver em seus olhos a fúria cega, e tenho certeza de que hoje será meu fim. Grito por socorro, enquanto sou arrastada como um animal nosso quarto. Os vizinhos não se intrometem em brigas de casais, não importa para eles se serei morta. Debato-me tentando fugir de suas mãos, mas é inútil. Além do mais fugir para onde? Não tenho ninguém, e ele nunca me deixaria partir com vida. Sou suspensa no ar, e jogada na cama. Seu grande corpo por cima do meu, me segurando presa entre ele e o colchão. Usando as pernas como reforço, abre as minhas pernas rasgando em seguida minha calcinha. Suplico encarando dentro dos olhos verdes, e o sorriso que nasce nos seus lábios ao enfiar seu pau, me traz a realidade de que ele é um monstro frio e sem coração. Suas mãos seguram meu pescoço com força, e a cada arremetida na minha boceta seus dedos apertam mais forte, me sufocando. Desisto de lutar, simplesmente aceito o destino. — Gosta assim, não é? Admite. Eu vi você olhando para o homem que coleta o lixo. Quer ser fodida igual uma piranha. — Uma mão solta o pescoço, e desce em direção ao rosto me esbofeteando. Deus, por favor, acabe com isso. Acabe com isso, por favor. Sem ar, sufocando aos poucos, pouco a pouco vou perdendo a consciência. Quando saio na rua, ando sempre de cabeça baixa, ele que escolhe minhas roupas, só posso sair em sua companhia, sair é quase um milagre. Quando o conheci na faculdade, gentil, amoroso, bondoso, não fazia ideia do tipo de pessoa que ele se tornaria. Às vezes acho que o amor me cegou para enxergar os sinais. Ciúmes, discussões, suas mãos quando seguravam firme meu braço, mas sempre em seguida um pedido de desculpas com flores, e lágrimas. E como uma tola apaixonada, aceitei seu pedido de casamento. Sempre fui sozinha criada em lares adotivos e ter alguém cuidando de mim desse jeito era algo maravilhoso, não podia perdê-lo. Os primeiros dias de recém- casados foram inesquecíveis. Mas quando engravidei tudo mudou. Do dia para noite meu príncipe encantado se tornou meu carrasco. Em sua primeira crise me espancou a ponto de perder o bebê. Sangrando e com fortes dores abdominais fui levada para a emergência e como uma boa esposa devotada, contei aos médicos como tinha caído da escada arrumando o sótão. Depois daquele dia as coisas só pioraram. Violência sexual, agressão física, humilhação verbal. Perdida em pensamentos, sou pega de surpresa quando Spencer gira meu corpo me colocando de bruços e monta por cima da minha bunda. Mordo os lábios a ponto de sangrá-los. Algo duro é enrolado em meu pescoço e sou montada como se fosse uma égua. Minha visão vai ficando turva, embaçada. É o meu fim. Fecho os olhos sentindo alívio, porém uma voz ao fundo sussurra no meu ouvido que mereço mais, que não posso acabar assim. Reúno forças que não sabia que tinha, e decido lutar pela minha vida. O ar fugindo dos pulmões dificultando respirar, me contorço. Distraído com seu ato de violência, não percebe quando estico o braço até criado mudo e pego a caneta. Tento mover o abdômen e com um momento de coragem enfio no seu joelho. Gritando, Spencer solta a cinta que prendia meu pescoço e rola para o lado levando as mãos até o ferimento. Respirando fundo, pulo da cama. — Eu vou te matar, Cindy. Em pé, nua e sangrando. Procuro a arma que ele esconde em um compartimento secreto atrás do nosso retrato de casamento. Por vezes fingi estar dormindo e o vi mexendo. Talvez estivesse só esperando o momento certo para descarregá-la em mim. Levanto a arma em punho e miro em sua direção. Olhos que antes tinham fúria, agora tem medo. Está com medo de mim, querido? — Você não tem coragem de fazer isso. É só uma puta interesseira. Se me matar, minha família vai acabar com você. Engatilho a arma.

Ler agora
Pecado com o CEO- livro 1

Pecado com o CEO- livro 1

Filippo Leone fez uma promessa que não pode ser quebrada. Quando sua noiva — e mãe de seu filho — acordar do coma, ele retomará suas vidas de onde pararam. A nobre promessa fica ameaçada assim que Filippo põe os olhos em sua nova estagiária, Nicole Romero. Resistir à atração explosiva entre os dois é uma missão praticamente impossível. A aspirante a mestre confeiteira possui uma mistura de aromas e sabores capaz de enlouquecê-lo.

Ler agora
Ruiva virgem

Ruiva virgem

Há cinco anos, Jefferson Miller abandonou a sua família e a empresa para viajar pelo mundo a bordo de um barco, em busca do próprio destino. Depois de tanto tempo distante, ele retornou a São Francisco para o enterro do seu irmão mais velho, aquele a quem era mais apegado. Porém não esperava que, além da multinacional do ramo esportivo, Jonathan também deixasse uma esposa no testamento. Para assumir a presidência da Athena, se tornar o CEO e trazer estabilidade para os negócios diante do mercado, ele precisou cumprir o último pedido do irmão: casar por meio de um contrato com sua viúva, uma mulher dez anos mais jovem que ele e que só conheceu no funeral. Clare tinha o emprego dos sonhos trabalhando como secretária do melhor amigo, à frente de uma das maiores companhias esportivas do mundo, contudo um terrível acidente mudaria sua vida para sempre. Jonathan jurou protegê-la e então decidiu casar-se com ela, mas era um arranjo de fachada, que também o ajudaria a esconder sua orientação sexual. Virgem e viúva, não esperava viver um grande amor ao se ver enredada em um segundo casamento de contrato, mas o que Clare e Jefferson não imaginavam é que poderiam encontrar o seu porto seguro nos braços um do outro.

Ler agora
30 dias de sedução

30 dias de sedução

Uma aposta entre dois irmãos faz com que um deles seduza a namorada no outro..... Traição, paixão, sedução e poder

Ler agora
Dominador delicioso

Dominador delicioso

Espio meu corpo para ter certeza se meu conjunto de lingerie está devidamente em seu lugar, ajustando o fio dental no meu bumbum um pouco incomodada com a sensação dele atochado lá no meio, mas ao mesmo tempo admirada com a forma como ele acentua meus quadris outrora estreitos. Prazer em finalmente te ver, bundinha! Penso enquanto me empino e olho minha forma por trás do ombro. Realmente pareço ter mais bunda do que de costume! Coloco a playlist para tocar num volume médio e então meu estômago embrulha quando percebo ter chegado a hora. Eu estou prestes a fazer algo inimaginável, pelo menos para mim, e por um segundo cogito desistir. Inspiro fundo, soltando lentamente o ar pela boca. Desistir agora não é opção. Acalme-se, Candy! Você está no controle. Posiciono-me de frente ao notebook, mais precisamente em frente à câmera, e fito a tela do monitor. Ali eu leio a seguinte mensagem: <Iniciar transmissão> Clico nela e já faço uma pose sensual, a qual tive que ver bastantes vídeos eróticos para imitar. Não só as poses, como também todas as encenações e gestos sexies o suficiente para atrair a atenção dos homens. Acredita que até a maneira correta de gemer eu treinei? Calma, é claro que eu sei mostrar o meu prazer quando estou excitada, mas digamos que sou meio discreta, nunca havia permitido me libertar à ponto gritar antes. Ainda mais por dividir o apartamento com a minha amiga, imagine se ela me ouvisse do outro lado das finas paredes do nosso humilde cafofo estudantil?

Ler agora
Recado ao CEO

Recado ao CEO

Outras
5.0

“Observei seu rosto, o tesão refletido ali me enchia o ego. Beijando acima da renda da calcinha, fiquei arrepiada, e não tirou, só jogou para o lado.

Ler agora
Secretaria submissa

Secretaria submissa

Ela foi escolhida para quitar a dívida que seu falecido pai deixou. Ele foi escolhido para dar continuidade ao império que seu o pai construiu. Ela prefere a morte a ter que se casar com o algoz que a deseja. Ele já casou por amor no passado e, desde então, se fechou emocionalmente. Ela tinha uma vida perfeita. Ele tem a vida perfeita. Ele é justo e protetor. Ela é doce e corajosa. Ele a mostrará que ainda vale a pena viver. Ela o mostrará que ainda vale a pena amar.

Ler agora
Seduzida pelo meu chefe

Seduzida pelo meu chefe

erena Smith a muito tempo deixou para trás aquela menina sonhadora e inocente, e se transformou, em uma assassina de sangue frio. Agora, casada com o homem que arruinou a sua vida, Serena se vê em um impasse! Entre matar o homem que assassinou o seu irmão, mas também matar a única pessoa capaz de lhe despertar sentimentos, ou simplesmente, perdoá- lo. Ela estava disposta a revirar todos os segredos que cercavam o assassinato do seu irmão, e precisava também, aprender a controlar o seu coração... que insistia em bater descompassadamente pelo homem que dormia ao seu lado. Nessa nova etapa do seu plano, Serena anseia em descobrir a identidade de um algoz misterioso, que estava disposto a caçá-la e que a queria a todo custo. Além de enfrentar um homem do seu passado que a destruiu... e que protagonizava a maioria dos seus pesadelos. Giovanni Campanaro sempre foi um homem sanguinário e sem escrúpulos, capaz de destruir e matar qualquer um ao seu redor, mas ela... a mulher de olhos cintilantes era diferente! Serena entrou em sua vida para trazer o seu melhor lado à tona, e fazer com que todo o seu mundo se modifique, de uma maneira que talvez, fosse irreversível. Serena e Giovanni vão aprender juntos que esconder a verdade nunca é o melhor caminho, que a mentira corrói e destrói tudo! E nem mesmo o amor é capaz de vencer essa guerra. O passado é algo que insiste em ressurgir, e liberar consigo todos os demônios que estavam trancafiados.

Ler agora
Vendendo a virgindade

Vendendo a virgindade

Eu nunca fiz isso antes. Estou tão nervosa que deixo as palavras escaparem. Guardo as mãos dentro dos bolsos da calça jeans e afundo o corpo no sofá conforme vejo o homem alto, moreno e de olhos reluzentes se aproximar. Não cheguei aqui por acaso. Houve um longo tempo entre a proposta indecente que ele me fez e o meu “sim”. Pesei e julguei tudo o que estava envolvido e percebi que era a coisa certa a se fazer, minha família precisava do dinheiro. Até pensei que ele havia se esquecido de nosso acordo, já que não me respondeu em nenhum momento do dia. E quando ligou, foi para perguntar onde eu estava e enviou um carro luxuoso que me trouxe da Zona Norte até esse condomínio cheio de mansões na Zona Sul de São Paulo. Pelo caminho eu me distraí com a névoa que cobria desde a copa das árvores até os pequenos e escuros lagos que se projetavam no horizonte. E agora, dentro de seu território, sentada em seu sofá e preparada para qualquer investida, evito encará-lo. Não consigo. Não sou de ficar envergonhada, mas agora sinto minha face toda queimar, ao vê-lo. E meu corpo parece que fica todo gelado quando nossos olhares se encontram. Quando disse que era um professor da minha faculdade, pensei logo em um velho esquisito e aproveitador, mas nem de perto o senhor Lamarphe é assim. Ele deve ser 10 ou 15 anos mais velho do que eu, sim. Mas está definitivamente longe da imagem que criei de um homem rico que ofereceria dinheiro pela minha virgindade. — Nunca fez isso o quê? — O timbre forte da voz dele me faz tremer no lugar em que estou. Sua voz é melodiosa e carrega um sotaque italiano que fica em minha mente, parece bem mais impactante agora do que quando falamos por telefone. — Nunca fez sexo ou vendeu sua virgindade por cem mil reais? O sorriso de retórica em seus lábios vermelhos faz as maçãs do meu rosto aquecerem ainda mais. Pelo visto ele é bem humorado e até agora está sendo gentil, o que me deixa menos tensa. Ainda assim, é inevitável não ficar em estado de alerta com um homem de 1,90 diante de mim. Seus braços devem ser do tamanho das minhas coxas e seu olhar mostra o quanto ele é experiente e sabe lidar com toda essa situação. — As duas coisas — balanço os ombros e o encaro. O senhor Lamarphe dá um gole generoso no líquido cor de ouro envelhecido que traz em seu copo redondo e se senta numa poltrona diante de mim. A sala da casa desse homem faz parecer que não existe privacidade: as paredes laterais, tirando as estruturas, são inteiramente feitas de vidro e consigo ver pela noite escura e densa lá fora: três carros na garagem ao lado, uma piscina mais ao fundo e uma miríade de luzes fraquinhas no horizonte, deve ser da cidade. Mas o que me deixa realmente absorta é encarar uma árvore gigantesca no meio da sala, acho que foi a coisa mais curiosa que já vi em um cômodo.

Ler agora
Sexo sem amor

Sexo sem amor

— Está morto? — Ouço uma voz perguntar, mas ela parece vir de muito longe. — Quase, mas ainda respira. O que quer que eu faça com ele? Posso acabar com a agonia do garoto com uma única bala. — Não. Valorizo a lealdade. Ele foi contra o próprio pai para proteger a Organização. Esse aí entendeu que a Irmandade[4] está acima da família. — Dizem que ele é meio maluco. — Quem de nós não é? De qualquer modo, o rapaz é corajoso. Não é qualquer um que enfrentaria um avtoritet[5] para cumprir com seu dever de lealdade ao Pakhan[6]. — Não costuma ser tão generoso, Papa[7]. Alguns diriam que um fruto nunca cai longe da árvore. E se for como o pai? — Nesse caso, por que não permitiu que o maldito seguisse com o plano para me matar? Não, o menino é água de outra pipa. E o que estou fazendo não tem a ver com generosidade, mas com pensar no futuro. Conto nos dedos de uma mão quantas pessoas morreriam realmente por mim e por minha família. É mais novo do que os meus netos. Um dia, Yerik e Grigori[8] vão estar no comando e precisarão de homens de verdade ao lado deles. Eu acho que eles continuam conversando, mas não tenho certeza. Acordo e perco a consciência várias vezes. Entretanto, entendo que o Pakhan acha que eu fiz o que fiz por ele, mas não foi. Minha decisão não teve nada a ver com alguém, mas com algo. Regras. É por elas que eu vivo. Eu nunca as quebro. Elas são o meu verdadeiro deus, muito acima do que as pessoas chamam de sentimentos ou emoções. Não tenho amor e nem raiva dentro de mim. Não consigo entender esses conceitos, já as regras, são simples: siga-as ou quebre-as. Há sempre somente duas escolhas. Preto ou branco. O cinza é uma impossibilidade e também uma desculpa para quem não consegue se manter fiel à sua palavra. Não me ofendo com xingamentos ou me dobro à tortura. Não temo a morte e nem sinto medo de nada, a não ser ter minha vida fora de padrões que estabeleci. Eu preciso dos padrões e os procuro em qualquer lugar. Quando descobriu essa minha habilidade de pensar em cem por cento do tempo de forma lógica, meu pai usou-a por muito tempo em seu trabalho na Organização. O que ele não entendeu, é que essa não era apenas uma característica minha, mas quem sou. Em tudo, todas as áreas da minha vida, busco padrões. É assim que consigo compreender o mundo ao meu redor. Foi assim que descobri a traição dele. Ele não estava somente roubando, planejava entregar o Pakhan nas mãos dos inimigo e isso desordenaria meu plano de continuar servindo à Organização. Atrapalharia as entregas de carregamentos de armas, cujas rotas calculei com precisão matemática. Traria um novo chefe para a Irmandade, que talvez quisesse modificar a planilha de lucro. Iniciar guerras desnecessárias. Eu odeio mudanças. Qualquer alteração me desestabiliza. Até mesmo uma solução alternativa para mim, tem que ser analisada de antemão. Tusso e me sinto sufocar. O ar está impregnado com uma mistura esquisita. Um dos odores é sangue, eu sei. Estou acostumado a esse cheiro desde pequeno. Aos treze anos, matei pela primeira vez. Uma ideia destorcida do meu pai para que eu fosse iniciado dentro da Organização. O outro odor, acredito que seja álcool, então acho que devo estar em um hospital. Eu não me importo, só quero ficar curado. Preciso que me costurem para que eu possa seguir com o meu trabalho. Se demorar muito, vai atrapalhar meu cronograma e eu não tolero imprevistos.

Ler agora
O vício de amor

O vício de amor

Encontrando um Homem Bom para a Mamãe Depois de comer, os dois saíram do restaurante. "Aonde você está indo? Eu vou te mandar." Natália pensou por um momento: "Vá para casa". A loja ainda não foi concluída corretamente. Natalia ainda está trabalhando nisso. Ela marcou uma consulta com a cliente do vestido de noiva personalizado e olhou a foto. Então, de acordo com o estilo e material que ela escolher, você pode fazer roupas. Ouvindo Natália dizer casa, Jorge olhou para o lado dela, ligeiramente irônico: "Seu filho nem tem pai, é uma casa?" Natália queria refutá-lo, ele ainda não tinha, mas ela engoliu em seco novamente quando chegou à boca. Se ela recusou e não sabia o que ele iria dizer, ela olhou para ele de lado e entrou no carro. Jorge sorriu. O compartimento estava muito silencioso e a atmosfera era inexplicavelmente constrangedora. Natália encostou-se na janela do carro, fechou os olhos e fingiu dormir. Suas habilidades de atuação não eram brilhantes, Jorge percebeu de relance, mas não a penetrou. Após cerca de vinte minutos, Natália fingiu abrir os olhos como se tivesse acabado de acordar. Ela havia calculado o tempo e o carro havia chegado à comunidade. Ela esfregou os olhos, empurrou a porta e desceu, "Obrigada." Agradeça a ele por mandá-la de volta. Jorge se recostou e colocou a mão no volante. "Seu 'obrigado' não é sincero." Natalia fechou a porta com uma mão, "O que você quer dizer?" "Se você quer me agradecer, não deveria ser convidado a subir para uma xícara de chá?" Um sorriso em seus lábios parecia provocar. Natalia foi quem ele provocou. Natália bateu a porta do carro e disse friamente: "Por favor, jante, expressei minha sinceridade." Carlos era tão hostil com ele que, se Fernanda o visse, ele ficaria infeliz. Ela estava louca antes de deixá-lo ir para sua casa. Celina mordeu o dedo e abriu seus grandes olhos redondos, olhando para Natália parada na beira da estrada, "Qual é a mamãe?" Carlos estava pensando, como Natália poderia recuperar o tablet e o telefone do relógio, ouviu as palavras da irmã e olhou para ela: "Onde está uma múmia?" Celina apontou para a porta da comunidade. Carlos olhou e viu Natália parada na beira da estrada conversando com as pessoas.

Ler agora
O VIÚVO NEGRO

O VIÚVO NEGRO

Este romance retrata a história de um homem altamente obcecado por uma mulher, e este amor o levará ao limite, onde ele será capaz de ir as últimas consequências para conquistá-la. Se você não gosta de romances com homens: possessivos, controladores, ciumentos e obcecados, não o leiam, ele poderá despertar gatilhos. Mesmo depois do aviso decida lê-lo. Lembre-se, FERAL é altamente viciante, ele manipulará sua mente.

Ler agora
O acordo

O acordo

Laureen Vargas sempre teve tudo o que queria na palma da mão, mas aos vinte anos, seu destino muda de forma devastadora. Seu pai, um homem de negócios à beira da falência e com uma dívida imensa, oferece sua filha virgem em troca do perdão da mesma. Apenas no dia do casamento, Laureen finalmente conhece seu futuro marido, um CEO herdeiro de um grande império no mercado de ações. O que ela não sabia é que Gael busca nela a vingança da morte de sua mãe. Mocinho ou verdadeiro vilão? Uma paixão ardente, sensual e extremamente arriscada aguarda por Laureen neste romance hot de Beatrice Meirelles. Quando a boca não consegue dizer o que o coração sente, o melhor é deixar a boca sentir o que o coração diz. William Shakespeare A você, que de alguma maneira, chegou até aqui...

Ler agora
Chefe da máfia

Chefe da máfia

Em meio ao abandono da esposa e sozinho para cuidar da sua pequena bambina Clara. Luca, se vê prestes a cumprir a palavra dada ao seu papà. Coisa a qual o capo Luca lamenta profundamente! Uma decisão mal pensada e que agora poderá destruir o que sobrou da sua vida! Em meio a uma confusão interna, Luca sabe que uma vez dado a palavra ao rigoroso e implacável patriarca dos patriarcas. Que é um homem que não perdoa e não mede consequências para conseguir o quer e não faz questão de sentimentos e sim de obediência! E não permitirá volta, já que Luca é capo protetor da famiglia. O terror dos inimigos, Luca é conhecido como o diabo as máfias. O que nem o patriarca dos patriarcas esperava era que o inesperado acontecesse e o fiel capo Luca cruzasse seu caminho com Micaela Yeva. Uma linda imigrante russa. Vítima de violência doméstica e brutalmente violentada nas ruas da linda Roma. E estas ruas que Micaela passou a temer. O que Micaela e Luca não sabem, é o que a levou sofrer o seu pior abuso! O que irá unir duas vidas tão diferentes? Vamos descobrir no primeiro livro de uma estupenda e inesquecível série. — Famiglia Pasini. Uma família envolvente e intrigante. Essa vai te envolver você em cada livro e em cada estória. Famiglia Passini e uma nova geração de senhoras Pasini. Eles são homens instigantes, violentos, envolventes e devassos. Elas são mistérios a ser descobertos. Juntos são sexys e apaixonantes. Cada casal uma delirante, viciante e deliciosa história. Cada um lhe envolverá de um jeito diferente. Mas todos eles são abrasantes e inesquecíveis. E se tornarão o seu sonho e o mais ardente desejo!

Ler agora
CEO enganador

CEO enganador

Eu não era de acreditar em superstições e mau agouro, porém hoje estava sendo um daqueles dias em que tudo dava errado. A sorte nem sempre estava a meu favor, no início pensava que era coisa da minha cabeça, que tinha que me esforçar mais para conseguir as coisas, mas com o tempo, tive que admitir que havia algo errado. Mesmo que ainda negasse que alguém podia carregar esse mal, alguns fatos ainda me faziam ficar em dúvida. Hoje era um desses dias. Não sei o porquê, mas meu celular alarmou muito cedo. Muito adiantado! Duas horas adiantado! Quando olhei no aparelho, achei que estava atrasada, pois as horas marcavam duas horas a mais do que eu esperava. Quando olhei no espelho, meu rosto parecia ter sido amassado por um trator e o pior de tudo era que eu achava que não tinha tempo para tomar café. Eu era uma pessoa simpática e bem-humorada, mas de barriga vazia as coisas mudavam, pois uma substituta mal-humorada possuía o meu corpo e me dava dor de cabeça.

Ler agora
Dominador delicioso 2

Dominador delicioso 2

Vai? — Sim, vou te levar em casa e idolatrar cada pedacinho do seu corpo. Será tão gostoso que você vai ficar rouca de tanto gritar o meu nome. — Sussurra contra meu ouvido e então entra em seu escritório, deixando- me pra trás, atônita e absorta com as imagens que ele colocou na minha cabeça. O som da porta se abrindo me tira dos devaneios e eu me viro ainda um pouco fora do ar, engulo em seco ao constatar de quem se trata. Os gêmeos tiveram a quem puxar... — Bom dia. — Forço a voz mais profissional possível e sorrio levemente para o senhor que caminha até mim. — Bom dia! — Estica o braço e aperta a minha mão firmemente. — Meu Jamie está na sala?

Ler agora
Um olhar de amor

Um olhar de amor

Era bom estar na estrada. É claro, pensou Chase Sullivan, que os limpadores de para-brisa mal faziam diferença sob a forte chuva daquela estranha tempestade de final de maio, mas já havia passado da hora de ele sair da festa de 70 anos da mãe. Todos os oito irmãos e irmãs juntos sob o mesmo teto eram sinônimo de muitas risadas, várias provocações... e pelo menos umas duas discussões sérias. Também não ajudara nem um pouco o fato de a acompanhante de Zach ter saído com Gabe al- guns meses antes. Junte seis irmãos com idades entre 27 e 36 e com certeza haverá confusão. Porém, como estava claro que nenhum dos dois irmãos queria um relacionamento sério com a garota, não 7/462 havia chance de eles se baterem por qualquer outro motivo que não fosse descarregar um pouco de energia com uns socos. Além disso, assim que Smith apareceu, a moça ficou tão ad- mirada que não deu atenção para mais ninguém. Chase sempre ria da maneira como as pessoas perdiam o controle com a presença do irmão que era astro do cinema. Smith era tão normal quanto todos os outros. Bem, talvez ter um iate de 45 metros frequentado por estrelas não fosse exata- mente normal. De qualquer forma, o motivo de a festa estar à beira de uma implosão era que suas irmãs gêmeas não estavam se falando. E elas não precisavam dizer uma palavra, bastava ver os olhares maldosos que uma lançava para a outra de cada lado da sala. Havia muito tempo, ele apelidara Lori e Sophie de Mazinha e Boazinha. Se não fosse pelo fato de serem cópias idênticas fis- icamente, Chase não acreditaria que faziam parte da mesma família. O estranho tinha sido que dessa vez na festa, Boazinha era quem parecia querer matar Mazinha. Se não estava en- ganado, Lori chegara até a se esconder de Sophie certa hora. 8/462 Ainda bem que tinha um motivo para sair de lá antes de elas começarem a puxar os cabelos uma da outra, Chase pensou ao fazer uma curva na estrada cada vez mais estreita que levava ao vinhedo Sullivan, na região vinícola de Napa Valley. Pelos quatro dias seguintes, faria uma sessão de fotos no vinhedo do irmão para a Jeanne & Annie, uma marca de roupas que vinha crescendo rapidamente e combinava a alta costura com o estilo caseiro. As modelos e a equipe ficariam na cidade, mas Chase iria para a casa de hóspedes de Marcus.

Ler agora