img Mamãe e Seu Admirador Misterioso  /  Capítulo 1 Caindo no mar  | 
img
Mamãe e Seu Admirador Misterioso
img img img
Capítulo 1 Caindo no mar
1169    |    21/06/2022

"Ai... Que coceira, meu Deus... Me ajude."

Eliana Pierce sentia como se seu corpo estivesse em chamas. Ela se contorceu, depois se dedicou a beijar o pomo-de-adão do homem, implorando que ele fizesse sexo com ela.

Ninguém seria capaz de recusar uma mulher tão bela quanto ela. Além de bonita, ela era charmosa e libidinosa.

"É você quem está pedindo..."

O pomo-de-adão do homem oscilou para cima e para baixo. Cativado por seus encantos, ele usou as mãos na cintura dela para erguê-la e se inclinou para começar a fodê-la.

"Ai..." Eliana começou a gemer de prazer.

Era difícil distinguir pelo som de sua voz se ela estava com dor ou simplesmente excitada.

Logo, ela foi forçada por seu desejo avassalador a envolver os ombros do homem com os braços, entregando-se com insensatez e abandono. As estocadas rápidas e firmes do homem logo a levaram ao orgasmo. Ela permaneceu deitada na cama enquanto seu corpo tremia.

Ela ficou exausta e quis descansar um pouco. Porém, antes de fechar os olhos, viu uma cicatriz chamativa no peito suado do homem.

... ...

Na manhã seguinte, quando Eliana acordou, teve a sensação de estar de ressaca.

No momento em que abriu os olhos, seu corpo inteiro estava dolorido, especialmente os membros inferiores.

Ela esfregou as têmporas, tentando se forçar a ficar sóbria.

'O que diabos aconteceu? Eu não estava bebendo no quarto de Erica? Quem era aquele homem com quem eu dormi?', ela se perguntou em pensamento.

Ontem à noite, Eliana tinha sido convidada por Erica Duffy para uma festa em um cruzeiro, e depois...

Bang! A porta foi aberta à força.

"Oh, meu Deus! Eliana! Ontem à noite, você..." O espanto estava estampado na expressão de Erica.

O homem ao lado dela, Asher Harrison, parecia ainda mais chocado.

Em pânico, Eliana escondeu o corpo com o cobertor, mas não foi suficiente para cobrir os chupões por toda a sua pele.

Seu pescoço e seus braços estavam cheios de hematomas. Além disso, o ambiente romântico do quarto indicava que ela havia tido uma noite de amor com um homem.

"Asher, eu não...", Eliana quis se explicar ao seu namorado.

"Eliana, você realmente pediu a um gigolô para dormir com você! Como pôde fazer algo assim? Você traiu Asher!"

Erica parecia completamente indignada. Soava como se ela fosse quem tinha sido traída.

Naquele momento, Eliana a fitou, incrédula.

"Eu não fiz nada disso! Por que está mentindo, Erica?"

Em questão de segundos, Eliana repassou em sua mente tudo o que havia acontecido na noite anterior e ligou os pontos.

"Que diabos...? Ah, agora eu entendi! Asher! Erica armou tudo isso, eu..."

"Cale a boca! Você não passa de uma vagabunda!", Asher rugiu, interrompendo Eliana com a voz carregada de repulsa e um brilho de fúria no olhar.

"Eliana, você não passa de uma vadia, igual à sua mãe! Vocês duas adoram seduzir homens. Se ela não tivesse feito algo tão estúpido, o Grupo Pierce nunca teria ido à falência. Foi culpa dela o Grupo Pierce acabar desse jeito!"

"Do que está falando, Asher? O que aconteceu com a minha mãe?"

Eliana permaneceu sentada na cama, congelada, com a mente em branco.

"Nunca mais olhe na minha cara!"

Após dizer aquilo, Asher saiu bufando. Assim que ele se retirou, Erica deu um sorriso perverso.

"Espere por mim, Asher!"

Eliana recobrou a compostura no momento em que se deu conta de algo. Então, ela vestiu um roupão e seguiu Asher até o convés. Tinha que falar com ele.

"Asher, o que você quis dizer? Como o Grupo

Pierce foi à falência? E me diga uma coisa... Como meus pais morreram?"

Eliana agarrou Asher pelo ombro, visivelmente apreensiva.

Um brilho de culpa cruzou o olhar de Asher, mas logo foi substituído por fúria.

"Vá se foder! Eu não acabei de avisar você para nunca mais olhar na minha cara?"

Ele tentou se soltar das garras de Eliana.

"Só me diga a verdade e eu vou deixar você em paz. Por favor, eu preciso saber."

Eliana continuou segurando o braço de Asher enquanto lágrimas caíam de seus olhos.

Ela não se atentou ao fato de que agora estava próxima ao parapeito.

Além do parapeito, logo abaixo dela, só havia o oceano sem fim.

"Eu não faço ideia do que está falando. Agora me solte!"

Asher tinha perdido a paciência. Em um acesso de raiva, ele acabou a empurrando.

Com o empurrão, Eliana cambaleou para trás até atingir o parapeito e cair no mar.

"Eliana!" Asher estendeu a mão, mas não conseguiu apanhá-la.

"Ah!"

Logo, Eliana foi engolida pelo oceano turbulento, sem nem ter a chance de gritar por socorro.

Na sequência, os passageiros adormecidos do cruzeiro foram acordando, um a um. Mas nenhum deles imaginava que havia uma mulher lançada ao mar, sofrendo uma morte lenta.

... ...

Cinco anos depois, no aeroporto.

Empurrando um carrinho de bagagem, Eliana se dirigiu à saída. Adrian Pierce, com uma cara séria, disse: "Deixe que eu ajudo você, mamãe."

Ela abaixou a cabeça e afagou o cabelo macio dele. "Que filho mais prestativo eu tenho!"

"E eu, mamãe?" Sua filha, Aileen Pierce, esticou a cabeça para fora do carrinho de bagagem, onde estava sentada. Ela era adorável com seus olhos brilhantes.

"Bem, você está sendo muito prestativa aumentando o peso da bagagem", Adrian comentou com sarcasmo.

Aileen ficou em pé no carrinho de bagagem, encarando o irmão.

Eliana soltou um risinho enquanto assistia à interação dos filhos, seus olhos cheios de afeto.

Naquele momento, o celular dela vibrou. Depois de dar uma olhada na mensagem, o sorriso em seu rosto desapareceu.

A mensagem era de Jonathan Bowman. "Me ligue quando chegar. Providenciei uma babá e um carro para você", dizia a mensagem.

Com os olhos grudados na tela do celular, Eliana não podia deixar de pensar em como o homem aparentava ser um cavalheiro.

Ela estava hesitante em ligar para Jonathan.

Absorta em seus pensamentos, Eliana ficou alheia ao que estava acontecendo com seus filhos.

Aileen tinha seu brinquedo favorito nas mãos, um urso de cristal arredondado, e estava brincando alegremente.

De repente, um dos pedestres esbarrou na mão de Aileen, fazendo o urso cair no chão. Como o aeroporto estava lotado, o pobre urso foi chutado pelas pessoas que andavam por toda parte.

"Meu ursinho!", exclamou Aileen.

"Aileen, espere!", Adrian gritou.

Aileen saiu em busca de seu urso e Adrian foi atrás dela.

Em seguida, o urso rolou para os pés de um homem.

"Finalmente peguei você!"

Com um sorriso, Aileen pegou o urso e olhou para cima.

O homem alto e corpulento diante dela estava vestindo um terno completamente preto. Ele possuía feições agradáveis aos olhos, com um olhar profundo. Para os transeuntes, sua presença intimidadora era um incentivo para manter distância; mas para Aileen, sua presença era cativante.

O homem abaixou a cabeça para encarar os olhos da menina. Eles tinham olhos muito parecidos.

Um brilho iluminou os olhos de Aileen e ela passou os braços ao redor da coxa do homem.

"Papai!", exclamou a menina.

            
img
img
  /  5
img
img
img
img