Lera > Moderno > Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos

   Capítulo 29 Visita inesperada

Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos Por Valentina Britto Personagens: 10445

Atualizado: 2020-03-24 04:16


Sentado no carro, Mario perguntou-lhe: "Marina, você acha que pode ficar na minha casa nos arredores da cidade por alguns dias? Eu moro em casa no centro da cidade."

"Não precisa, me leve para a minha casa." Marina respondeu em voz baixa.

"Como Fede a trata dessa maneira, por que está voltando para aquela casa?" Mario realmente não conseguia entendê-la.

Marina não disse nada, apenas se sentiu bastante cansada olhando a paisagem do lado de fora da janela.

"Talvez eu não deva casar com Fede desde o começo. Naquele momento, se eu perdoasse Pedro, não entraria nessa situação. Desde que cheguei a essa etapa, ainda tenho que enfrentá-la."

Marina disse para si mesma lá dentro e tomou a decisão de seguir o caminho bravamente.

Mario a levou para a casa do Fede, e os dois pararam na porta. Mario olhou para Marina com preocupação e perguntou: "Marina, está realmente bem?" Mario não pôde deixar de fazer a pergunta.

Marina assentiu levemente, "Tudo bem. Vá para casa, se algo acontecer, eu ligo para você."

Mario não teve escolha senão aceitar o que ela disse e foi embora.

Logo após Marina chegar em casa, Fede também voltou.

Quando Fede entrou, viu que Marina estava sentada sozinha no sofá. Ao vê-la, ele se sentiu muito mais confortável, porque a princípio temia que essa mulher não estivesse em casa.

Fede se aproximou e sentou-se ao lado da Marina. Olhando para o relógio no pulso, ele abriu a boca: "Por que você ainda não dormiu?"

"Fede, acho que deveríamos conversar um pouco." De repente Marina virou a cabeça para olhar para Fede.

"De que falamos?" Fede perguntou a ela.

"Do divórcio." Marina disse isso sem expressão facial.

Fede estava infeliz: "Eu não lhe contei? Este casamento não pode terminar."

"Você não quer ou não é permitido?" Marina olhou para ele, "Há também coisas que você não pode conseguir? Desde que concorde, não há problema em nos divorciar."

"Marina, você está tão impaciente por me deixar já?" Fede perguntou a ela.

"Mal posso esperar mais um minuto." Marina disse rebeldemente.

Assim que ela terminou as suas palavras, Fede beliscou o seu queixo. Olhando-a furiosamente, Fede disse-lhe: "Você realmente quer ficar com Mario?"

Embora estivesse assustada, Marina não era fraca, "Claro, pelo menos, Mario é mais terno do que você."

"Marina!" Fede finalmente gritou.

Marina olhou nos olhos do Fede, tentando não demonstrar medo.

"Lembre-se de que você só pode ser a minha esposa, só pode ser a esposa do Fede. Você pertence a mim!" Fede deixou as palavras furioso.

"Fede, eu não pertenço a você." Marina resistiu.

Fede pressionou-a no sofá com tanta força que quase a matou, e abriu a boca ferozmente: "Se você se atreve a procurar Mario, eu juro que ele irá para o túmulo."

Com o aperto no pescoço, Marina mal conseguiu dizer uma única palavra. Pouco a pouco, a sua respiração ficou mais fraca.

Minutos depois, Fede notou a expressão facial da Marina e notou que a mão dele ainda estava pressionando o seu pescoço.

Ele soltou a mão lentamente, permitindo que Marina respirasse. Ela estava constantemente tossindo. A falta de oxigênio era bastante horrível.

Fede levantou-se do sofá e deu a volta, dizendo a Marina em voz alta: "Fique em casa ou eu vou quebrar as suas pernas!"

O que ele disse estritamente foi como ordens militares, que não puderam ser rejeitadas.

Observando Fede se afastar pouco a pouco, lágrimas brotaram no olhos da Marina.

Duas semanas depois, Fede contemplando o mar do lado de fora da janela, ainda estava muito angustiado. O que devia fazer agora? Vendo que o humor da Sara estava melhorando dia a dia, Fede, por um lado, queria lhe dizer a sua decisão, mas, por outro, também estava preocupado que ela entraria em colapso por não poder aceitá-la. Fazia duas semanas desde que viu Marina, e ele continuou pensando nela.

De repente, o celular tocou, Fede o pegou e olhou para a tela. Foi a ligação do Derek e ele atendeu.

"Olá." Fede abriu a boca primeiro.

"Fede, onde você está agora?" Derek perguntou com preocupação.

"O que houve?" Fede ignorou a sua pergunta.

"Volte à Casa Militar agora e vamos juntos ao exército. Acabei de receber um aviso de que temos uma tarefa urgente e devemos retornar."

Pelo tom da voz do Derek, Fede percebeu que não estava brincando. Devia haver algo sobre as tropas, e os militares deviam obedecer às ordens militares de qualquer maneira.

"Eu sei, espere por mim no quintal." Dizendo isso, ele desligou o telefone.

Fede entrou na sala. Quando ele viu que Sara estava sentada no sofá brincando com o celular, se aproximou dela.

"Vamos querido, me ajude neste jogo. É muito difícil." Sara disse ao Fede, comportando-se como uma mimada.

Fede estava sentado no sofá, mas não pegou o celular da Sara. Ele falou com ela gentilmente: "Sara, Derek acabou de me ligar. Eu tenho que voltar para o exército, fique em casa sozinha hoje."

"Você está indo embora?" Sara estava insatisfeita ao ver Fede, e parecia que ela estava com raiva.

Mas Fede não explicou muita coisa, apenas disse: "Você também sabe que ordens militares não podem ser desobedecidas."

Sara não deu mais rédea livre ao seu mau humor e pergun

tou: "Ok, quando você vai voltar?"

"Estimo que demore alguns dias, mas o concreto só é conhecido após o retorno ao exército." Fede falou calmamente.

Sara não disse mais nada.

Então Fede levantou-se para sair.

Sara também se levantou e abraçou Fede por trás. Descansando a cabeça nas costas dele, ela abriu a boca carinhosamente: "Volte cedo, tenho medo de ficar sozinha em casa."

No entanto, Fede não respondeu a ela. Ele soltou a mão da Sara na cintura e não olhou para ela. Ele foi diretamente.

Observando Fede ir embora, os olhos da Sara estavam cheios de raiva. Ocorreu-lhe a existência da Marina e ela disse a si mesma: "Marina, nunca vou compartilhar um homem com você, Fede me pertence."

Depois de dois dias, Sara se levantou muito cedo para esperar pelo Fede, mas até o meio dia, Fede ainda não retornou. Na época, Sara pensava que talvez Fede aproveitasse essa oportunidade para ver Marina.

Então ela foi à casa do Fede. De pé na porta, Sara olhou para o apartamento de luxo. Ela estava muito infeliz, pensando que deveria ser a dona dessa casa em vez da Marina.

Ela apertou a campainha e esperou Marina abrir a porta.

Marina, que estava na sala, quando ouviu a campainha tocar, ficou um pouco curiosa. "Quem visitaria a minha casa tão cedo? Fede volta?"

Ela foi abrir a porta. Quando ela viu Sara, ficou surpresa.

"Por que você vem aqui?" Marina perguntou a ela.

"E que? Não posso vir?" Sara ignorou a pergunta e disse: "Aqui não é apenas a sua casa, mas também é a casa do Fede."

"O que você quer fazer?" Marina estava com um mau pressentimento olhando para Sara. Parecia que era uma bomba-relógio que poderia explodir a qualquer momento.

Sara não respondeu à sua pergunta e a cutucou. Ela entrou na sua casa diretamente.

Observando os elegantes móveis e decorações no chão, Sara ficou com muita inveja e queria ocupar essa casa imediatamente.

Marina não entendeu o que Sara queria fazer, então a seguiu para observar a sua intenção.

Mas Sara não percebeu que tinha sido secretamente fotografada quando entrou na casa da Marina.

"Sara, o que você quer fazer definitivamente?" Marina quase perdeu a paciência.

"Eu só estou indo ver a casa que Fede lhe deu. Vou pedir uma melhor que a sua no futuro." Sara disse sem olhar para ela.

Ao ouvir isso, Marina se aproximou dela e disse seriamente com um dedo indicando a direção da porta: "Sara, esta é a minha casa. Peço-lhe para sair daqui."

"Você não tem qualificação para me convidar para sair", Sara olhou para Marina com severidade, e a raiva nos seus olhos gradualmente se espalhou.

Marina também estava quase morta de fúria.

"Aparentemente, Fede trata bem a sua esposa nominal. Você tem muita sorte de morar aqui." Sara estava brincando com ela.

"Haha", Marina devolveu um sorriso frio e disse, "Senhorita Sara, você está exagerando a realidade. Posso viver feliz em qualquer lugar, mas ouvi dizer que a senhorita Sara ainda não teve uma vida normal, não é?

As suas palavras fizeram Sara mudar de cor imediatamente, ela se dirigiu à Marina: "Marina, não importa como é a minha vida, eu sempre sou filha da família He e a mulher mais amada do Fede. Mas você não é ninguém."

"Sara, você tem certeza de que é filha da família He? Parece que nesta cidade a maioria das pessoas não conhece você." Ao dizer isso, Marina também estava desconfortável, porque ela realmente não sabia nada sobre Sara. Tudo o que sabia era que Sara havia deixado a cidade anos atrás, com a ajuda do Fede, e agora ela estava de volta.

"Você!" Sara estava tão brava que não conseguiu dizer nada, apenas olhando ferozmente para Marina.

Marina de repente se comportou como a anfitriã, se sentou no sofá e disse à Sara: "Senhorita Sara, por favor, sente-se. Como você mantém um relacionamento especial com Fede, acho que as fórmulas de cortesia não são necessárias. Se quer água, pode usá-la."

"Marina, você acha que é a dona desta casa?" Sara ficou tão brava que a sua voz tremeu um pouco.

"Claro, tem algum problema? O meu nome e o nome do Fede estão escritos na certidão de casamento, em vez do seu nome." Marina disse calmamente.

"Eu juro que você vai ter um certificado de divórcio com Fede." Sara, que parecia bastante furiosa, falou as palavras para Marina com os olhos cheios de raiva.

"Ok, estou ansiosa por isso também." Marina deu um sorriso irônico: "Para dizer a verdade, estou muito entediada por estar com Fede. Se quiser, eu deixarei para você."

"Marina, saia desta casa agora!" Sara gritou.

Marina também estava ficando chateada e imediatamente se levantou do sofá. Olhando para Sara, ela disse: "Você não tem qualificação para me expulsar desta casa. Quem pode me expulsar é Fede, o dono desta casa. E quem diabos é você?"

"Marina, mais cedo ou mais tarde esta casa me pertencerá." Sara já estava quase louca.

"Mas pelo menos agora pertence a mim. Sara, a pessoa que deveria sair daqui é você. Vá embora!" Marina gritou a última palavra, pois a incomodou ao ver essa mulher.

"Hein, depois de destruir esta casa, eu vou embora." Sara virou-se para subir as escadas.

Vendo a ação da Sara, Marina seguiu imediatamente para ver o que essa mulher queria fazer.

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas