Lera > Moderno > Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos

   Capítulo 25 Acordo de Divórcio

Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos Por Valentina Britto Personagens: 8252

Atualizado: 2020-03-24 03:36


Pedro olhando para Marina disse: "É por causa da Sara? Sara voltou?"

Fede ficou surpreso ao ouvir o nome da Sara. "Como ele adivinhou isso?" Fede pensou.

Marina não podia acreditar que Pedro também conhecia Sara, "Você a conhece também?"

A pergunta da Marina fez Pedro confirmar as suas dúvidas. "Tem que ser isso, Sara está de volta, por isso o tio quer voltar para ela. Naquele dia, o tio fez todo o possível para protegê-la, até se ajoelhou para implorar ao bisavô que desse uma ordem. Agora que Sara voltou, era normal o tio querer voltar para ela e deixar Marina de lado." Pedro pensou na sua mente.

Ele não respondeu à pergunta da Marina, desviou o olhar para Fede e disse friamente: "Tio, todos esses anos, a única coisa que não mudou é o seu coração?"

Fede ao ouvir as suas palavras, não sabia o que dizer.

"Naquela época, você fazia tudo para proteger Sara, agora Sara está de volta, então quer voltar para ela. Certo?" Pedro olhou para Fede, sem nada a temer.

Marina, ouvindo as palavras do Pedro, sentiu que Pedro parecia saber muito mais que Mario. "Era normal, já que Pedro era sobrinho do Fede, como ele não sabia as coisas do seu tio?" Ela pensou.

"Pedro, por que Sara foi embora?" Marina não sabia por que queria fazer essa pergunta.

"Porque os pais dela ..." Antes que Pedro terminasse de falar, um forte soco do Fede atingiu o seu rosto.

Fede ficou muito furioso e Pedro também ficou chateado por casa do soco do Fede, então os dois brigaram.

"Pedro, se você se atreve a dizer, eu juro que vou deixar toda a sua família morrer." A voz do Fede era realmente assustadora.

"Claro que ouso. Você vai esconder isso da Marina também?" Pedro, ao mesmo tempo em que brigava com Fede, disse, "Vou levar Marina, ela só sofrerá quando estiver com você."

"Não toque na minha mulher." Fede disse gritando.

"A sua mulher? Você quer dizer Sara? Ou Marina?" Pedro disse novamente, "E se eu tocar na Sara?"

"Pedro, se você se atreve a tocá-la, eu vou te matar agora." Os olhos do Fede pareciam os dum demônio, que poderia matar alguém, independentemente das consequências.

Marina estava praticamente chorando de um lado, assistindo a luta, e estava ciente de que eles estavam lutando pela Sara e não por ela. Sara era realmente tão importante? Fede faria tudo por ela?

Nesse momento, o coração da Marina morreu totalmente e ela não esperava mais nada. De repente, ela ficou com raiva de si mesma, por que teve que se apaixonar pelo Fede? Se ela não tivesse se apaixonado pelo Fede, não sentiria tanta dor.

Minutos depois, Marina enxugou as lágrimas, virou-se e saiu.

No meio da estrada, Marina olhou para o céu, tentando conter as lágrimas, dizendo a si mesma que tinha que ser forte e que Fede não pertencia mais a ela.

À noite, Marina não acendeu as luzes e sentou-se no sofá esperando a chegada do Fede. Fede não estava em casa há vários dias, Marina não sabia se voltaria hoje ou não.

Até às dez horas da noite, quando Fede entrou na sala e acendeu as luzes, ele ficou surpreso vendo Marina se sentar no sofá, e se aproximou rapidamente dela.

Ele se sentou ao lado dela, pegou a mão dela e perguntou com uma voz suave: "Por que não vai para a cama?"

Fede sentiu que a mão da Marina estava fria e disse: "A sua mão está fria. Vamos lá, vamos para o quarto, está tão frio na sala."

Marina retirou a mão, olhou para Fede e perguntou: "Por que você volta hoje à noite?"

"Estou de volta para vê-la." Fede disse suavemente.

"Para me ver? Eu estou bem sozinha em casa. Não há necessidade de voltar para me ver." Dizendo isso, Marina levantou a outra mão, "Viu? A queimadura já está mais ou menos curada, tenho que agradecer ao Mario por colocar creme em mim. Além disso, você me viu esta manhã. Não é assim?"

"Mario ajudou você a colocar creme?" Fede ficou um pouco bravo ao ouvir o nome do Mario. Quantas pessoas essa mulher viu durante esses dias? Mario? Pedro? E quem mais?

"Claro, Mario pegou a minha mão e me ajudou a colocar o creme." Marina disse sem se importar com o que Fede pensava. Além disso, o casamento desde o início já era um e

rro.

Fede, vendo os olhos da Marina, sabia que ela ainda estava com raiva.

"Marina, não seja assim. Sinto muito, mas me dê um tempo, por favor, vou resolver tudo, eu prometo, agora vamos lá para cima. Pode ser? São quase onze horas, vamos descansar." Dizendo isso, Fede pegou a mão da Marina.

"Fede", Marina gritou, levantou-se do sofá sem pretender ir ao quarto com ele.

Sentindo-se impotente, Fede olhou para Marina, não sabendo mais como ele poderia confortá-la.

"Você quer que eu durma para que possa ir encontrar Sara?" Marina perguntou olhando seriamente para Fede.

Fede não podia negar, pois era o que pretendia fazer. Ele voltou para casa aproveitando o tempo de Sara estar dormindo, e planejava voltar à Sara quando Marina adormecesse, se Sara acordasse e não visse ele, ninguém sabia o que ela iria fazer.

Marina, vendo que ele não deu nenhuma resposta, sabia que estava certa.

"Haha," Marina sorriu impotente e disse, "Fede, duas mulheres para você, quão ganancioso, não é?"

Ao vê-la se comportar assim, Fede sentiu dor no coração, já que ele não cuidava dela há muito tempo que era culpa dele, mas ele não podia fazer nada, só queria que Marina lhe desse tempo para resolver o problema.

Marina não esperou por Fede para falar, ela abaixou a cabeça e puxou um documento, colocou-o na frente dele e disse: "Acordo de divórcio, assine mais cedo."

Essa ação fez com que Fede ficasse completamente em branco.

"O que você diz?" Fede não podia acreditar e se perguntou novamente, "O quê? Essa mulher quer se divorciar de mim? Eu nunca pensei em me divorciar dela."

"Você não vê o que está escrito lá em cima? Acordo de divórcio", disse Marina, sem expressão, como se não se importasse mais com nada. "Se você já tem alguém no seu coração, eu irei embora, você não estava esperando por ela todos esses anos? Agora que ela voltou, eu deixo você para que possa voltar para ela."

"Marina", Fede gritou e olhou para Marina friamente, não gostando do que Marina havia dito.

Marina não se importou com a expressão do Fede e continuou dizendo: "Fede, embora não tenhamos amor entre nós. Agradeço por me acompanhar durante todos esses tempos. Sei perfeitamente bem, você realmente ama Sara. Agora que ela voltou, é hora de eu ir embora."

Ninguém sabia a dor que Marina sentiu ao dizer as palavras, só ela própria sabia, que não podia se separar do Fede, não podia se separar desta casa, nem sabia para onde poderia ir depois de se divorciar de Fede. Voltar para o pai e a tia Jenny? Claramente não era possível.

Fede pegou o acordo de divórcio furiosamente e o rasgou na frente da Marina, depois gritou para ela: "Marina, acha que eu vou deixar você se divorciar tão fácil? Sem a minha permissão, você não poderá se divorciar."

Vendo essa atitude do Fede, Marina se aproximou e disse: "Não estou pedindo a sua permissão, apenas assine."

"Marina, eu te aviso para não ir muito longe." Fede ficou muito sério, não estando disposto a se divorciar dela, certamente não.

"Haha. Eu estou indo muito longe?" Marina riu friamente, "Você não está cansado? Mas eu estou cansada."

Fede não queria continuar discutindo com ela, nem queria ficar bravo com ela.

"Vamos lá, vamos descansar." Ao dizer isso, Fede pegou a mão da Marina com a intenção de levá-la para o quarto.

Dessa vez Marina não resistiu, e seguiu Fede para dentro do quarto.

Fede a ajudou a cobrir o cobertor e se agachou ao lado dela, pegando a mão dela e beijando-a.

"Fede", Marina chamou o seu nome com uma voz doce.

"Querida, sinto muito, é tudo culpa minha." Fede ao ver que Marina se acalmou começou a confortá-la novamente.

Marina queria fazer perguntas sobre Sara, mas quando o viu assim, não sabia como perguntar.

"Hoje à noite, não vá, por favor", disse Marina quase chorando, esperando a resposta do Fede.

Fede olhou nos olhos da Marina, acariciou a bochecha da Marina e disse, "Durma, querida."

Essas palavras fizeram Marina saber a resposta, finalmente, ele não iria ficar com ela.

Marina fechou os olhos para que as lágrimas não caíssem e se virou para evitar ver Fede.

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas