Lera > Moderno > Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos

   Capítulo 20 Reunião na Família Chu

Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos Por Valentina Britto Personagens: 8748

Atualizado: 2020-03-24 02:48


Ao ver os dois partirem, Pedro ficou deprimido e virou-se para sair.

À noite, Fede deitado na cama, com a Marina nos braços. Ele estava tão feliz que não sabia como se expressar.

"Você não disse que ficaria um mês no Exército? "Por que voltou hoje?" Ela perguntou deitada ao lado de seu homem.

"Vi que eles estavam te maltratando, acha que posso ficar tranquilo?" Ele respondeu friamente.

"Estou bem, eles não estão me maltratando." Ela pensou que além do que tinha acontecido esta manhã, nos outros dias estava bem.

"Tá tudo bem mesmo que a Ana tivesse batido em você?" Ele perguntou seriamente e pensou, "Que mulher tola, nem sabe como se proteger".

"Isso foi por acaso. Hoje de manhã, quando voltei para a Casa Militar, não esperava que ela estivesse lá também. " Marina disse.

"Ok, mas você é minha esposa. Ela não deve ter batido em você, ninguém pode tocar na minha garota, ninguém. " Ele disse, como se estivesse declarando uma ordem.

"Fede, você está me protegendo?" Marina de repente ficou muito consolada. Isso foi felicidade? Parecia que ela entendeu um pouco o que significava a felicidade.

"Claro, você é minha garota, claro que eu tenho que protegê-la." Fede disse afirmativamente, abraçando-a com mais força. Mesmo não soubesse como dizer as palavras de amor, mas ela já tinha ocupado todo o coração dele.

Marina não disse nada, apenas se sentiu quente em seu coração. Isso a comoveu muito, já que havia muito tempo sem ter esse sentimento, quase esqueceu o que era a felicidade. A última vez que se sentiu feliz foi quando esteve com Pedro, mas isso foi muitos anos atrás. Além disso, Javier também a tratou muito bem, mas já não estava ao seu lado. Por enquanto, Fede era o único homem que ao mesmo tempo lhe dava felicidade ao seu lado.

"Aliás." Marina se lembrou de algo e perguntou: "Por que você exonerou o cargo de prefeito do Pedro? Ele é seu sobrinho. "

"Bem, porque ele merece, por ter incomodado você." Ele abaixou a cabeça para olhar para ela e disse a sério. "Não pode ir com ele, você é minha esposa, não permito que você saia da minha vista."

"Como assim que não me deixa fora de vista?" Marina disse furiosamente.

"Mas ele sempre está te incomodando!" Depois de dizer isso, Fede se virou e subiu em cima de sua esposa.

Ela ficou com uma sensação muito estranha. "Fede, o que vai fazer?"

"Já é noite, o que acha que vou fazer?" Ele disse.

"Ah! Vagabundo. "

Como ela não podia impedir esse homem, parou de resistir.

A sala estava cheia de amor.

De manhã, Marina abriu os olhos e encontrou o Fede vendo-a como se fosse um demônio.

"O que está fazendo?" Ela perguntou.

"Sabe? Parece tão feio quando dorme." Fede, ao mesmo tempo em que disse isso, estava muito feliz por tê-la ao seu lado.

"Então por que está me olhando? Vá para outro lugar. " Dizendo isso, els se virou às costas para o Fede.

Fede a abraçou por trás: "Embora seja feia, também te amarei, porque é minha esposa."

"Quantas vezes vai me lembrar disso?" Ela perguntou. Ao se casar com ele, já ficou claro que, mesmo que não tivesse amor por ele, ainda era sua esposa.

Lembre-se, não vou deixar você falar com o Pedro. " Fede disse a sério.

"Ok" Marina aceitou rapidamente. Ela se virou e olhou nos olhos dele, dizendo a sério: "Então Pode não exonerar o cargo do Pedro?"

"Está implorando por ele?" Fede ficou um pouco chateado.

"Não, só que acho que não precisa ter feito isso. Pedro e eu não temos mais nada relacionamento, por que se preocupa com isso? Se você fizer isso, as pessoas vão pensar que o Pedro e eu temos relacionamentos." Ela disse que não queria mais saber nada sobre o Pedro.

Olhando nos olhos dela, ele sabia que essa mulher realmente não se importava com o Pedro.

E não disse nada.

Marina, vendo isso, sabia que tinha aceitado o seu conselho, ficou feliz e perguntou: "Você não vai voltar para o Exército hoje?"

"Esses dia não tenho que voltar." Fede disse, ao mesmo tempo, pensou: "O que essa mulher pretende fazer?"

"Ah, ok, hoje é o fim de semana, vem comigo comprar alguma coisa. Nesses dias a Emily está muito ocupada e quase não tem tempo livre para me acompanhar. Vai comigo. Ok? " Marina disse, como se fosse tanto um pedido, quanto uma ordem.

"Que preguiça!" Fede disse.

"Você não quer ir comigo?" Ela perguntou furiosamente.

"Não, não" Fede,

ao ver que sua mulher estava com raiva, disse imediatamente: "Irei, irei com você, comprarei o que quiser".

Ao ouvir suas palavras, ela sorriu de alegria.

"Mas antes disso, vamos tomar um banho juntos."

Antes de Marina reagir, ele a levou em seus braços para o banheiro.

No shopping, Marina estava muito feliz, agarrando os braços do Fede, parando em todas as lojas de roupas, assim como ela fez com a Emily. Desde que Fede pagou por tudo, ele não se importava com o dinheiro.

Ele estava exausto e não esperava que essa mulher ainda tivesse tanta energia. Embora no coração do Fede ele estivesse reclamando, mas vendo-a tão feliz, parou de reclamar.

Tinha apenas um objetivo, que era fazê-la esquecer todos os maus momentos do passado.

Marina saiu do shopping, segurando os braços do seu marido, que também tinha muitas sacolas de compras.

Quando saíram, nenhum deles se deu conta da existência da Jenny.

Ela manteve um olhar de ódio, até que os dois desapareceram de seu olhar.

"Jenny, essa não é sua filha? Ouvi dizer que ela se casou com a família Chu. Veja como eles são bons, o garoto da família Chu é muito bonito e também ouvi dizer que é muito poderoso. " Disse uma dona rica, que estava ao lado dela.

"É verdade, veja quantas coisas compraram. Parece que ele trata sua filha muito bem. " Outra mulher disse.

"Que sorte ela teve, viu? A família Chu é muito poderosa, e agora o filho dessa família trata a Marina muito bem. Eu acho que ele está muito apaixonado por ela. "

"Sim, pois é."

Todas as palavras se transformaram em ódio quando a Jenny as ouviu. "Como é possível que ela esteja vivendo tão bem? Uma prostituta também merece viver uma vida de luxo? Minha filha Maria é a pessoa que tem o direito de viver uma vida dessa, em vez dela ". Jenny pensou.

Ela, com raiva, se despediu de suas amigas dizendo que se sentia mal.

Quando chegou em casa, acordou a Maria, que ainda estava dormindo. E também ligou para Miguel, para falar sobre o casamento da Maria.

"Maria, acho que é hora de fazermos seu casamento com o Pedro." Jenny disse furiosamente: "Hoje vi aquela puta, sua irmã, fazendo compras no shopping com o Fede. Ela ficou tão feliz que não pode imaginar e, além disso, o homem comprou muitas coisas para ela. Meus amigos os viram e todos falaram bem deles. Vê-la me fez querer dar uma tapa na boca dessa puta, como ela também merece ter uma vida assim? "

Maria ficou chateada quando ouviu o nome da Marina: "Como é possível que ela tenha encontrado um homem tão poderoso e rico? Não pode ser, tenho que me casar com um homem mais rico e poderoso. " Ela pensou.

Jenny pegou as mãos da filha e disse: "Maria, você tem que se apressar e discutir com o Pedro. Seu casamento deve ser realizado rapidamente. Quando ele for prefeito, você se tornará a primeira-dama da prefeitura e terá tudo o que quiser. "

Jenny ficou satisfeita ao pensar que sua filha poderia entrar na família Ye, que também era uma família bem conhecida na cidade.

"Ok mamãe, falo com ele amanhã. Tia Ana também me ama muito, não terei problemas. " Ao mesmo tempo em que a Maria disse, estava posando suas seguintes coisas.

"A minha garota amada, lembre-se de ir para casa ver seus pais depois que se casar." Jenny disse seriamente.

"Isso é claro, mamãe, eu voltarei com muita frequência para ver vocês", disse a Maria alegremente.

Miguel também acreditava que o casamento da filha deveria ser realizado o mais rápido possível. Como a filha mais nova já era casada, se a filha mais velha ainda não era casada, as pessoas pensariam que ela tivesse um problema.

"Maria, hoje não precisa vir para a empresa. Vou ligar para alguém para fazer seu trabalho, agora só precisa se concentrar no seu casamento", Miguel disse.

"Ok, obrigada pai" Maria deu um sorriso para ele.

Na Casa Militar, Marina, pegando nos braços do Fede e entrou na sala. Antônio estava sentado em seu lugar habitual.

Marina e Fede, caminharam em sua direção e o cumprimentou educadamente.

"Vovô".

"Bem", Antônio assentiu. "Sentem-se, a família de sua irmã também chegou."

Eles ficaram de olho em Ana e Roberto, ao lado deles estava a Maria. As irmãs se entreolharam, e os olhos de Maria estavam cheios de ódio.

Fede não estava com intenção de cumprimentar a Ana, e a Marina, quando viu que Fede não disse nada, ficou calada.

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas