Lera > Moderno > Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos

   Capítulo 4 Você trouxe seu cartão de identidade e registro civil

Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos Por Valentina Britto Personagens: 6786

Atualizado: 2020-03-24 00:05


Três dias depois.

Fede estava sentado no carro. Derek estava levando-o para o encontro com garotas.

Olhando fixamente para a paisagem do lado de fora da janela, Fede de repente se lembrou de algo e perguntou a Derek friamente: "Você encontrou a mulher naquela noite?"

Enquanto dirigia, Derek olhou para Fede através do espelho retrovisor. Então ele disse com preocupação: "Ainda não, nada pode ser encontrado no registro do hotel. Talvez aquela mulher não tivesse condições de pagar o quarto, então aproveitou a oportunidade para entrar furtivamente no seu quarto ".

"Continue buscando." Fede pediu sem hesitar. Como é que eles não a encontraram? Para que servem o exército?

"Sim!" Derek obedeceu imediatamente, tendo medo de que Fede estivesse com raiva.

Marina, vestindo roupas casuais, acabou de sair de casa para participar num encontro com os garotos.

Ao longo do caminho, ela olhou para a paisagem sem atenção. Ela não tinha sentimentos especiais. Os encontros nos últimos dias já a deixaram entorpecida. Agora, neste mundo, não havia mais coisas que ela valorizava, então o que ela se importaria? Esse tipo de encontros era apenas uma forma. Mesmo que ela se casasse com um louco no futuro, já não iria lhe resistir.

Na cafeteria Starbucks, no centro da cidade. Marina ligou o celular e leu a mensagem de texto. Levantou a cabeça para encontrar sua mesa reservada, mesa número 6.

Ela não o encontrou a mesa até que chegou a um canto. Marina caminhou até aí e sentou-se sem olhar para o homem sentado do outro lado da mesa.

Quando ela se encontrou com o olhar dele, seu coração bateu forte. O homem num uniforme militar solene estava sentado lá seriamente, seu rosto parecia uma obra-prima que não foi encontrada nenhuma falha. Por seu temperamento, Marina deduzia-se que ele era de uma família nobre e elegante. O corpo forte e os ombros largos do Fede destacavam seu charme masculino.

Fede também estava olhando para ela. Quando ele viu os olhos dela e o rosto conhecido, Fede ficou surpreso. Era a mulher na cama naquela noite, ele levou a virgindade dela. Ele não podia deixar de expulsá-la e até enviou alguém para procurá-la, mas ele não esperava que ela aparecesse na frente dele agora.

No entanto, ele, sendo militar, sempre foi capaz de se controlar. Embora Fede estivesse muito contente e impressionado, manteve uma expressão muito calma. Olhando para o rosto inocente da Marina, ele não pôde deixar de querer ollhar para ela por mais vezes.

"Federico Chu?" Marina perguntou calmamente para confirmar se enganava a pessoa.

"Marina Shen" Fede, em vez de responder, chamou o nome dela. Este nome a representava muito bem, ela era uma garota misteriosa como o mar.

Marina piscou os olhos, sem saber o que poderia dizer no encontro. Mas o homem na frente dela era bonito, e ela gostava dele. Ela respirou fundo e disse: "Já que nós dois temos propósitos claros, vou falar francamente".

Fede não falou, esperando pelas próximas palavras da mulher.

"Não tenho muitos requisitos, não sou muito exigente. Se você gostar de mim e quiser se casar comigo, não tenho problema. " Terminando as palavras, Marina olhou para a janela e notou o rosto do Fede.

Fede ficou ainda mais surpreso com o que ela tinha dito. Ele participou em vários encontros às cegas, normalmente as meninas sempre tinham muitas perguntas. Mas essa mulher era mui

to direta que se referiu diretamente ao casamento sem prestar atenção a outras coisas.

Fede moveu as sobrancelhas levemente. Embora ela não fosse uma mulher sensual, sua beleza era inesquecível para ele. Quanto à questão de saber se ele gostava ou não dela, Fede pensou várias vezes e concluiu que essa mulher era um pouco especial para ele. Mesmo que não fosse amor, ele estava interessado nela.

Vendo que Fede estava calado, Marina não estava disposta a dizer mais nada. Num encontro tão chato, realmente não havia muito a dizer.

Marina inclinou a cabeça e olhou para o relógio. Ela olhou para cima e disse a Fede fracamente: "Sr. Frederico, agora já nos conhecemos, não tenho mais nada a dizer. Você pode considerar minha proposta por alguns dias e, depois de decidir, pode me ligar. Meu próximo compromisso começará às nove horas, agora são oito e quarenta, tenho que ir, desculpe. "

Ela tirou uma cartinha da bolsa, com o número do celular. E colocou a cartinha na mesa, levantando-se para sair.

No entanto, assim que ela só deu um passo à frente, Fede puxou o braço com força.

Ele falou em voz fria e um pouco zangada: "Você trouxe seu cartão de identidade e registro civil?"

Marina olhou nos olhos dele e ficou um pouco surpresa. Ela não esperava que Fede fizesse essa pergunta, mas respondeu calmamente: "Não, não os trouxe".

Depois de alguns minutos, Marina percebeu seu objetivo e deu uma respiração funda. Observando o homem à sua frente, ela deduziu que era uma soldado sério, então ele parecia muito conservador. Talvez ele não fosse tão experiente quanto Pedro, não era uma má idéia se casar com ele.

"Amanhã de manhã às oito e meia. Vou lhe encontrar aqui, lhe darei meu cartão de identidade e registro civil. " Marina respondeu com firmeza. Depois de dizer isso, ela se sentiu muito mais relaxada porque finalmente poderia se casar, embora o noivo não fosse o homem que ela amava.

Fede ficou feliz com a resposta dela e depois falou diretamente com a Marina: "Você não precisa ir ao encontro das nove horas, eu vou te levar para casa".

Marina encolheu os ombros. Como os dois decidiram se casar, ela não precisava mais de encontros às cegas.

Marina ficou em silêncio, estava pronta para sair da cafeteria e apanhar o carro do Fede para casa. Mas, naquele momento, ela viu um casal acabando de entrar pela porta, Pedro e Maria, por acaso.

Ao mesmo tempo, Pedro e Maria também a notaram. Quando Pedro viu o homem ao seu lado, ficou muito surpreso. Como isso poderia ser?

Fede, vendo Marina parada como uma estátua, olhou para o casal. Quando ele viu o rosto do homem, sua expressão mudou um pouco, mas logo se recuperou a indiferença.

Maria, segurando o braço de Pedro, olhou para Marina e o homem ao seu lado. Ela mais ou menos entendeu a situação, esse homem de uniforme militar devia ter sido o garoto que ela encontrou hoje. Olhando para a mão do homem que segurava o braço de Marina, Maria mostrou um pouco de desdém por ela, pensando que ela era realmente sedutora. Embora tenha sido a primeira vez que ela conheceu esse homem, eles já tinham contatos tão íntimos e ela era uma verdadeira puta patife.

Pedro imediatamente deixou o braço da Maria e caminhou em direção a Marina e Fede.

Ele parou diante deles, em vez de olhar para Marina, olhou para os olhos do Fede e perguntou-lhe surpreso: "Tio, por que você está aqui?"

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)

Similar Moderno Ebooks to Meu Sr. Soldado: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos: Los puritanos y otros cuentos

 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas