Lera > Romance > Dever pecaminoso

   Capítulo 10 No Grupo JH

Dever pecaminoso Por Érica Moura Personagens: 10533

Atualizado: 2020-03-24 01:36


Depois de atender uma ligação, Casper estava prestes a sair com sua pasta. Vestido com um terno reto e uma gravata cara, ele parecia bem diferente dos dias anteriores.

Enquanto isso, Stella havia colocado um vestido elegante, como se fosse a uma festa com algumas divas da alta sociedade. Ela sempre cuidou muito bem de sua maquiagem delicada e usava joias caras, depois de se vestir, ela parecia vinte anos mais jovem do que sua idade atual.

"Pai, eu tenho uma coisa para te contar," Sofia disse em um tom muito sério com os lábios franzidos.

Olhando para ela, Casper a notou de forma diferente, mas ele não sabia o porquê.

"O que?", ele perguntou. Afinal, ela tinha ajudado o Grupo JH a superar um de seus maiores obstáculos. De tudo isso, podia-se deduzir que Victor tinha uma relação especial com sua filha.

"Vou trabalhar para você a partir de amanhã!", ela disse, em um tom simples, mas firme. Pela expressão em seu rosto, ela não parecia estar brincando.

Ela estava declarando um fato, não pedindo o consentimento do pai.

Ele estava, sem dúvida, surpreso. Ele nunca tinha visto uma Sofia tão dominadora antes.

Além disso, ele tinha um acordo prévio com ela sobre isso, então seu pedido não demais.

Ao lado deles, Stella ouviu o que a enteada havia dito e ficou muito ansiosa. Se Casper concordasse, a posição de Jenny estaria em perigo.

'Não, claro que não! Casper e eu criamos o Grupo JH juntos. Não posso deixar outra pessoa pegar um pedaço do bolo. Especialmente... Principalmente a filha daquela mulher!'

"A festa vai começar. Vou me atrasar!", ela entrou na conversa, assim que seu marido estava prestes a dizer algo.

"Precisamos reunir o conselho e discutir isso primeiro. Mesmo que a empresa seja em nome de seu pai, as decisões ainda precisam ser acordadas com outras pessoas. Você não quer que ele se meta em problemas, quer?" Stella deixou escapar muitas palavras, antes que Casper tivesse a chance de falar.

Era óbvio que ele a tinha compreendido e se sentiu sortudo por não ter respondido de imediato.

"Vamos conversar sobre isso quando voltarmos." Stella pressionava seu marido o tempo todo, então naquele momento ele assentiu e se dirigiu para as escadas.

Quando ela olhou para seus rostos sorridentes, os sentimentos de Sofia transbordaram em seu coração, ao vê-los, ela não pôde deixar de zombar. Parecia que seu pai ainda não confiava nela depois de tanto tempo.

"Pai, como você não levou Jenny com você para uma festa tão grande?" De um modo geral, sua meia-irmã estaria muito disposta a participar desse tipo de evento, pois teria a oportunidade de falar com algumas celebridades.

Sofia não a via há muito tempo. Poderia dizer que ela havia apenas um motivo...

Enquanto ela pensava nisso, os cantos de sua boca se ergueram ligeiramente. Aha! Acontece que a astuta Stella tinha uma filha decepcionante.

Quando sua madrasta ouviu isso, sua expressão mudou. Depois de ficar trancada em casa por vários dias, Jenny queria desesperadamente sair para tomar ar fresco, e como Stella amava sua filha, ela secretamente a deixou sair.

Ela não podia deixar Casper descobrir isso.

"Ah! Ela não fez nada além de ler livros em seu quarto desde que admitiu seu erro! Que garota boba! Ela está sempre lendo. Não vou levá-la comigo desta vez! Vamos lá. Você tem que ir à reunião da empresa depois de me deixar lá!", Stella disse enquanto levantava seu relógio caro para verificar a hora.

Felizmente, Casper pareceu acreditar no que ela havia lhe contado e então saiu pela porta com sua esposa, sem fazer perguntas.

Enquanto isso, Sofia observava os dois desaparecerem lentamente de sua vista e seu punho cerrou-se inconscientemente.

No edifício do Grupo YS.

Victor estava sentado quieto em sua cadeira giratória, os cantos de sua boca se moviam de vez em quando como se ele tivesse pensado em algo agradável.

Toc. Toc. Inesperadamente, alguém bateu na porta de seu escritório.

John era a única pessoa que batia em sua porta sem um telefonema prévio. Embora fosse apenas um assistente, o tratamento especial que o chefe lhe dava não era trivial.

"Entre!", ele disse e imediatamente endireitou seu corpo e recuperou seu rosto frio de sempre. Seus olhos pareciam afiados e seus lábios finos formaram uma linha elegante que lhe deu um ar presunçoso. Ele exalava uma aura fria que impedia os outros de chegar perto demais.

"Sobre o Grupo J...", John disse, indo direto ao ponto no momento em que entrou.

Há apenas um momento, ele tinha visto Sofia sair com pressa, mas não conseguiu ver a expressão em seu rosto com clareza. John estava com medo de que as coisas tivessem mudado, então ele achou melhor perguntar a Victor pessoalmente.

"Faça o que planejamos. Amanhã iremos para o Grupo JH", respondeu Victor enfaticamente.

Se Sofia tivesse ouvido essa resposta, ela teria ficado imediatamente irritada. Ela gastou muito tempo e energia apenas para conseguir isso. O pensamento de seu olhar zangado suavizou o rosto frio de Victor.

"Entendi. Tenho que informar senhorita Sofia?", John perguntou casualmente, notando a mudança repentina na expressão de seu chefe quando ele mencionou seu nome.

"Não há necessidade! Pode voltar ao seu trabalho!" Se aquela mulhe

r soubesse, as coisas não seriam mais tão divertidas.

Quando John olhou para seu chefe, ele estava mais uma vez com sua expressão séria de costume.

Ele abriu a boca para dizer algo, mas decidiu ficar quieto e silenciosamente deixou o escritório do CEO e fechou a porta.

"A sério? Você realmente viu um chupão no pescoço de Sofia quando ela saiu?"

"Eu vi com meus próprios olhos. Ela esbarrou em mim quando fugia!"

"Oh, meu Deus! Eles não disseram que nosso chefe gostava de homens?"

"Ahem!" Quando John ouviu os funcionários fofocando do lado de fora da despensa, tossiu deliberadamente para chamar a atenção deles.

O grupo de fofoqueiros imediatamente ficou em silêncio e se retirou.

"Você! Fique!", John ordenou, de repente, a última mulher.

"Sim, senhor John!"

A mulher era a mesma que alegou ter visto o chupão de Sofia. No entanto, ela estava se encolhendo timidamente e não havia como ela se sentir confiante novamente.

"É verdade? Diga-me a verdade!", John perguntou enquanto olhava nos olhos dela, com medo de ter ouvido mal o que ela tinha dito.

"Sim! A moça estava de mau humor quando saiu do escritório do CEO. Quando ela estava saindo, ela acidentalmente esbarrou em mim. Eu vi seu pescoço cheio de... chupões."

Quando a mulher disse a última palavra, foi tão baixa quanto a voz de um mosquito.

Ouvindo isso, John respondeu calmamente: "Você está falando sobre nosso chefe pelas costas durante o horário de trabalho. Você não precisa mais trabalhar aqui. Na verdade, você não precisa vir amanhã!"

"John, por favor, não...", implorou a mulher, que não esperava ser demitida daquela forma.

"Em primeiro lugar, você deve conhecer as regras e regulamentos. A empresa foi gentil o suficiente com você!", ele a interrompeu, fazendo um gesto de adeus com a mão.

A mulher sabia muito bem que alguns funcionários que espalhavam boatos sobre a preferência sexual do CEO já haviam sido demitidos antes. Depois disso, nenhuma outra empresa ousou contratá-los.

John voltou ao escritório com um copo d'água e ficou perdido em pensamentos.

No Grupo JH.

Sofia tinha se levantado cedo hoje. Ela estava vestindo um terno preto, uma blusa preta, que revelava suas belas curvas, e uma saia na altura dos joelhos. Tudo isso destacava suas pernas longas e sedosas, com as quais a maioria das pessoas fantasiava. Um toque de maquiagem leve e delicado deu a ela um charme único no escritório.

"Olha! É apenas um trabalho! Você realmente precisa se vestir tão formal? Este não é um encontro às cegas! Mulher!", Jenny sorriu amargamente quando a viu.

Quando soube que Sofia iria para a empresa naquela manhã, Stella levantou-se cedo e arrastou a filha para lá também.

"Não é apenas um trabalho. Papai disse que me daria uma posição muito importante. Parece que alguém nunca trabalhou antes!", Sofia respondeu, enfatizando deliberadamente a palavra "importante".

Como esperado, o rosto de sua meia-irmã ficou pálido ao ouvir isso. Sua expressão estava pior do que se ela tivesse pisado no cocô de um cachorro de manhã cedo.

"Não é da sua conta!"

"Seu pai não disse que primeiro faria uma reunião do conselho para discutir as implicações de sua chegada repentina? Não seja tão impaciente! Pobre de mim! Afinal, os jovens não mantêm a calma", disse Stella, dando ênfase especial à última frase. No fundo, ela queria que Casper, que estava passando pela frente, a ouvisse.

Sofia simplesmente mordeu o lábio e não disse mais nada. Ela era muito ingênua para enfrentar Stella. De agora em diante, ela improvisaria.

"Bom dia! Todos têm trabalhado muito ultimamente!", Casper cumprimentou, enquanto se sentava no banco da frente e se dirigia a todos os membros do conselho quando eles chegaram à sala de conferências.

"Pela situação operacional da empresa, hoje era para ser o dia em que o Grupo YS compraria o Grupo JH. No entanto, tenho algo muito importante para lhe contar. Isso não vai acontecer! O Grupo JH funcionará normalmente!", Casper anunciou, com óbvio entusiasmo.

"Excelente! Isso é ótimo!"

"Sim, ouvi dizer que o Grupo YS é muito rígido com as regras. Se eles tivessem nos comprado, nós estaríamos..."

"Ok, pessoal! Todos vocês, me escutem. Tenho outra coisa importante a anunciar", Casper exclamou, interrompendo a discussão de todos os outros.

"Devido a mudanças na empresa, um grande número de funcionários já foram demitidos. Por isso, recomendo a minha filha, Sofia, que assuma o cargo de vice-presidente executiva da empresa." Ele deixou sua filha se levantar e a apresentou a todos.

Só naquele momento os executivos da empresa perceberam que Casper estava se referindo à sua suposta filha ilegítima!

Suas expressões não tinham nada a ver com as palavras que ele havia falado. Alguns ficaram em silêncio, enquanto outros discutiram em segredo.

Stella parecia calma. Do lado de fora, não havia nada de incomum nela. Por outro lado, o humor de Jenny era bastante evidente. Ela olhava para a meia-irmã de vez em quando, como se quisesse engoli-la viva.

"Chefe, onde sua filha se formou? Ela já tinha assumido uma posição tão importante antes?"

Essas palavras iniciaram uma discussão acalorada entre as pessoas que estavam dentro da sala de conferências.

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas