Lera > Romance > Dever pecaminoso

   Capítulo 8 Ameaça de Stella

Dever pecaminoso Por Érica Moura Personagens: 10714

Atualizado: 2020-03-24 01:16


"Estou apenas seguindo as ordens do senhor Victor", disse John com um sorriso significativo. "Se você quer saber quais são as intenções dele, eu não sei."

Em uma cafeteria no centro da cidade, Sofia tomou um gole de café enquanto olhava seriamente para Emily.

"Tem certeza que quer ir para o exterior?", ela perguntou em um tom indiferente, mas com evidente tristeza em seus olhos.

Emily Yu era sua melhor amiga da faculdade, ela era a única pessoa com quem Sofia podia falar abertamente e agora ela também estava indo embora. Emily decidiu estudar no exterior.

"Sim, esse é o meu plano", assentiu a garota. "Meu primo trabalha no Grupo YS. Ele conseguiu uma vaga para mim, mas ainda não sou elegível, então quero estudar no exterior por um tempo."

'O Grupo YS de novo?!' Cada vez que Sofia ouvia aquele nome, ela sentia seu coração pular no peito. A xícara de café que ela segurava começou a tremer em sua mão.

"Por que? O que houve?", Emily perguntou, notando a reação de sua amiga.

"Está tudo bem", ela respondeu com um sorriso forçado. "Apenas siga em frente. Eu estarei aqui, esperando você voltar."

"É por causa do Peter...?"

"Não, não é ele. Não mencione ele." Sofia já sabia o que Emily ia dizer. Ela não queria ouvir aquele nome de novo, realmente não tinha nada a ver com Peter.

Naquele momento, o telefone de Sofia tocou. Ela desviou o olhar para a tela e viu que era Jenny quem a estava ligando.

Depois de revirar os olhos, Sofia silenciou a ligação e colocou o telefone de volta no lugar. Assim que ela o colocou na bolsa, ele tocou novamente. Ela franziu a testa, silenciou-o novamente e jogou-o no fundo da bolsa.

"Tem certeza que não quer atender a ligação?", Emily perguntou com as sobrancelhas levantadas.

"Claro que tenho certeza." Sofia tomou mais um gole do café e tentou se acalmar.

Jenny a traiu e dormiu com o namorado, ela com certeza se recusaria a atender sua ligação. Claro, ela estava ciente de que Jenny a colocaria em muitos problemas quando voltasse em casa.

Logo depois, Sofia e Emily se despediram. E com certeza, quando ela chegou em casa, ela foi saudada pela voz estrondosa e desagradável de Jenny.

'Bem, eu posso acabar com isso', Sofia pensou franzindo a testa.

"Você ainda tem coragem de aparecer do nada, hein! Tenho tentado me comunicar com você o dia todo! Por que você não atendeu minhas ligações? Eu pedi para você esperar por mim! E quando eu saí, você já tinha ido embora!", Jenny estava histérica. A maquiagem que ela estava usando agora estava manchada e seu cabelo estava emaranhado. Sem sua fachada de princesa, ela parecia uma criança mimada, chorando.

"Eu nunca prometi a você que iria esperar por você," Sofia disse indiferentemente enquanto encolhia os ombros.

Jenny ficou boquiaberta com a indignação. 'Tch! Essa vadia não tem o direito de me mandar o que fazer!', ela disse a si mesma.

Casper apareceu naquele momento. Sofia estava preparada para receber sua repreensão, mas, para sua surpresa, ele empurrou Jenny para o lado. Ele caminhou até ela e olhou para ela com olhos arregalados. "Como você conheceu Victor? Jenny foi ao Grupo YS para encontrar John e ele disse a ela que Victor queria ver você."

'Meu Deus! É a terceira vez que ouço falar da empresa daquele desgraçado! Quando eles vão deixar minha vida em paz?', Sofia pensou, cerrando os dentes.

"Eu não o conheço, nem irei vê-lo", ela negou com determinação.

"Bah!", Stella bufou. Colocando a mão em seu quadril, ela caminhou até Casper e estreitou os olhos para Sofia. "Sofia, você faz parte dessa família, certo? Seu pai dedicou toda a sua vida ao Grupo JH. Você realmente suporta ver seu pai triste, vendo como todo o seu esforço estoura como uma bolha de sabão e acaba nas mãos de outra pessoa? Você sabe o quanto o Grupo YS pressionou seu pai? Muito em breve, não haverá nada que possa ser feito."

"Mamãe está certa. Temos sido uma boa família para você, não temos? Você acha que pode viver uma boa vida sem nós? Nós consideramos muito você. Nunca imaginamos que você seria uma pessoa tão cruel e ingrata! Aparentemente, você prefere viver na pobreza e na miséria", interveio Jenny, com a língua tão afiada quanto a mãe dela.

"Todos concordaram que eu fosse seduzir Wade para convencê-lo em nos ajudar. Vocês realmente achavam que isso era o melhor para mim?! Nem pensem por um segundo que eu me importo com este lugar!" Sofia objetou enquanto ria dos três.

Se ela não fosse da família de Casper, não importa quanto dinheiro ele tivesse, ela teria deixado aquela casa há muito tempo.

"Sofia, você está errada. Você não tem ideia de como seu pai ficou preocupado quando você não voltou naquele dia", disse Stella em um tom maternal.

A atitude repentina da mulher fez Sofia sentir calafrios de nojo.

"Stella, leve Jenny para o quarto dela", disse Casper.

Stella permaneceu em silêncio e acompanhou Jenny com relutância. Antes de sair, Jenny olhou para Sofia com desprezo.

Casper foi até o sofá com as mãos nos bolsos, olhou para a filha e deu um tapinha no assento ao lado dele. "Venha e me conte tudo." Não era normal Casper ser tão legal com Sofia.

Mas, afinal, ele era seu pai biológico, então Sofia não podia ser implacável e indiferente com ele. Ela hesitou por um momento, então caminhou até ele e sentou-se ao lado dele.

"Eu não

me importo se você conhece Victor ou não. Ele conhece você. Tenho esperança de que possamos fazer com que ele ajude o Grupo JH. Você não quer arruinar os negócios da família Jian, certo? Nem você nem sua irmã se casaram. Estou pensando em dar a vocês um grande casamento, mas não haverá se nosso legado acabar sendo arruinado."

A repentina aproximação de seu "pai afetuoso" surpreendeu Sofia. Embora soubesse muito bem que ele estava falando tudo isso apenas pelo bem do Grupo JH, ela teve que admitir que seu pai acertou o alvo com as palavras. Sofia até teve empatia por ele.

"Eu sei o que você quer dizer. Mas, realmente, não me importo com dinheiro. Além disso, não conheço Victor e não quero ter nada a ver com ele."

"Você ainda está com raiva de mim pelo tapa? Admito que foi um pouco impulsivo, não posso dizer o quanto lamento ter feito isso. Que tal assim? Se você concordar em ver Victor, nossa empresa terá a possibilidade de superar todo esse obstáculo. E quando isso acontecer, posso garantir que você terá uma posição elevada no Grupo JH. Sua irmã foi para o Grupo YS pelo bem de nossa empresa. Por que você não pode fazer o mesmo?"

Sofia sorriu desamparada, ela sentiu uma amargura indescritível no coração.

'Heh... Se não fosse pelo pedido de Victor, eu duvido muito que meu pai teria falado tão gentilmente comigo. Que irônico!'

"Receio que não haja nada que eu possa fazer a respeito. É melhor você encontrar outra maneira de salvar seu amado pequeno negócio."

Sofia terminou de falar, levantou-se e subiu as escadas.

Depois do banho, ela foi para a cama, mas continuou rolando na cama, incapaz de adormecer. Ela não conseguia parar de pensar em Victor. Sofia não entendia por que um homem tão poderoso quanto ele queria conhecê-la.

'Eu não vou... eu não vou', ela repetiu sem parar. Ela sentiu como se seus pensamentos estivessem desordenados, e não foi até o amanhecer que ela finalmente adormeceu.

De manhã, uma batida insistente em sua porta a acordou.

Sofia queria continuar dormindo, mas com o passar dos segundos, o golpe ficou cada vez mais forte e insistente. O barulho a estava deixando louca!

Sofia demorou um pouco antes de rastejar relutantemente até a porta.

Stella estava na frente de seu quarto com um grande sorriso no rosto. Ela já estava familiarizada com a atitude implacável da mulher, então ela ficou nervosa. A sonolência que ela sentiu foi substituída por um repentino estado de alerta. "O que houve?", ela perguntou com cautela.

"Vá ver Victor." O tom de ordem de Stella fez Sofia franzir a testa.

"Eu já disse que não."

Parecia que a mulher já esperava essa resposta dela. Ela lentamente tirou uma foto do bolso e mostrou para a garota. Sofia franziu a testa e detalhou a foto. Seu coração deu um salto no peito!

Era... era uma foto de sua mãe! Como Stella conseguiu isso? Nem mesmo ela tinha uma.

Sofia estendeu a mão com a intenção de pegá-la, mas Stella foi mais rápida e a colocou fora de seu alcance.

"Me dê isso! Por que você tem uma foto da minha mãe?!" Sofia explodiu, sua voz estava trêmula e cheia de ansiedade.

"Se você realmente quer saber onde eu consegui a foto, vá encontrar Victor. E certifique-se de manter o Grupo JH funcionando."

Sofia estava parada em frente ao imponente edifício do Grupo YS, seu logotipo era grande e muito marcante. A garota podia sentir sua mão suar enquanto segurava o cartão de visita de Victor.

Ela respirou fundo e caminhou em direção à entrada.

Assim que ela pisou dentro do prédio, ela sentiu que havia muitos olhares sobre ela, o que a fez se sentir desconfortável.

Ela timidamente caminhou até o balcão da recepcionista. "Eh… Olá, meu nome é Sofia. Vim ver…"

"Oh, é você, senhorita Sofia!" Antes que ela pudesse terminar de falar, a recepcionista a interrompeu como se ela estivesse esperando por ela. "O CEO está esperando por você em seu escritório. Por favor, siga-me."

Sofia estava confusa. Como ela sabia que Sofia viria ver Victor? 'E se... todos aqui sabem que vim procurar por Victor?'

"Por aqui, por favor." Enquanto os pensamentos de Sofia giravam em sua cabeça, a recepcionista fez um gesto educado para que ela a seguisse.

Sofia deu a ela um pequeno sorriso tímido, e seguiu com a cabeça baixa enquanto os outros olhavam boquiabertos para ela.

Desde quando entrou no prédio, ela se sentiu extremamente desconfortável. De vez em quando, ela se lembrava de algum momento embaraçoso que tinha acontecido no hotel naquela noite.

'Droga!

Foi Victor quem se aproveitou de mim. Por que me sinto assim?' Enquanto Sofia praguejava em seus pensamentos, a recepcionista parou em frente a uma porta. "O CEO está dentro. Por favor, entre."

A recepcionista terminou de falar e saiu.

Sofia levantou a cabeça e viu uma placa na porta. 'Victor Xiao, Escritório do CEO', ela leu em silêncio.

Naquele momento, ela sentiu seu coração pular e seus sentimentos se misturarem. Ela levantou a mão várias vezes na direção da porta, ainda com dúvida. Finalmente, ela se encorajou e bateu na porta.

Suas batidas ecoaram.

"Entre", disse uma voz profunda de dentro.

Imediatamente, Sofia reconheceu a voz de Victor e mordeu o lábio.

Ela engoliu em seco e seu coração disparou.

Ela assentiu com determinação e abriu a porta, o que viu lá dentro a surpreendeu...

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas