Lera > Bilionários > Meu CEO Papai

   Capítulo 20 Não é ela de sete anos atrás

Meu CEO Papai Por Doroteia Souza Personagens: 6325

Atualizado: 2020-03-24 03:12


"Entendo. Boa noite, Sr. Kerr", depois de receber uma resposta satisfatória, Brook estava prestes a desligar o telefone quando ouviu a voz de Kerr.

"Você pode ficar em casa sozinho? É provável que sua mãe volte para casa mais tarde", olhando Nicole inconsciente na frente dele, ele estava um pouco preocupado que o menino estivesse sozinho em casa.

"Não importa, estou acostumado. Se mamãe está com você, não me preocupo."

Havia um toque de alegria no tom de Brook antes que ele desligasse rapidamente. Ele temia que sua mãe tivesse saído às pressas, mas agora ele podia dormir com tranquilidade.

Quando Ken correu para o hospital, ele estava abotoando a camisa. Era quase meia-noite.

"Kerr."

No momento em que abriu a porta, Kerr ouviu ele gritar seu nome, Ken ficou surpreso com o jeito que ele o encarou.

Nicole, que dormia na cama, parecia sentir a confusão e franziu a testa levemente.

Como se estivesse tentando fazer uma criança dormir, o homem estendeu a mão para lhe dar um tapinha na cabeça e esperou até que ela estivesse relaxada. Depois, ele se levantou para sair da sala.

"Essa não é a mulher de sete anos atrás."

Antes ele tinha dúvidas, mas agora ele tinha certeza de que ela não era a garota que ele estava procurando.

Ken assentiu depois de ouvir isso. Foi sua primeira vez com aquela mulher, então não poderia ser a mesma de sete anos atrás.

"Desculpe, eu cometi um erro", ele pretendia surpreendê-lo, mas não esperava que isso acontecesse.

"Eu disse para você não a tocar", virando o rosto para o lado, ele podia ver a marca de batom no pescoço de Ken, que nem apagara, e seus olhos escureceram.

"Foi um acidente. Estou fazendo uma coisa boa salvando-a, está bem?".

Seguindo o olhar do amigo, Ken limpou delicadamente a marca de batom no pescoço. Ele era tão cínico que não se importava.

"Você explica isso a ela. Não me meta em problemas", depois de dizer isso, ele entrou diretamente na sala.

Nicole já estava na defensiva contra ele, ele não queria que agora com isso ela começasse a ter preconceitos contra ele.

Confuso, Ken estava prestes a segui-lo para perguntar o que havia acontecido, mas ele o afastou. E a porta da sala se fechou.

"Bem!", Ken levantou a mão para cobrir o nariz que bateu na porta por acidente.

"Ah sim? Eu estava brincando", ele murmurou enquanto olhava para a porta, sentindo-se um pouco culpado.

Na verdade, ele estava muito nervoso. Não era uma boa ideia irritar Kerr.

Olhando para a gaze na testa de Nicole, o CEO começou a se sentir culpado, sabendo que ele poderia ter reagido mais devagar para que ela não se machucasse.

"Papai, não vá para ali! Volte, não me deixe sozinha..." Nicole soluçou e balançou a cabeça desesperadamente com a sobrancelha franzida.

"De jeito nenhum! Papai, volte!"

Ele apertou a mão de Nicole com força, tentando confortá-la. Ele não entendeu que tipo de pesadelo poderia aterrorizar uma garota tão otimista.

"Não! Não me toque, fique longe!"

Ao ouvir isso, Kerr ficou rígido e não pôde deixar de imaginar o que estava acontecendo em sua mente. Quando ele estava prestes a acordá-la, ele ouviu algo q

ue o surpreendeu.

"Por favor, me dê isto!"

A garota tinha dito isso antes.

"Nicole, acorde", ele levantou a mão para limpar suavemente o suor da testa dela, acordando-a gentilmente.

"Por que está aqui?" Ela acordou de repente e ficou obviamente surpresa ao ver Kerr. É óbvio que ela não entendeu o que estava acontecendo.

"Você está machucada, então eu a trouxe para um hospital."

Ele começou a pensar que se a memória de Nicole durava apenas sete segundos, quando ela desmaiou e esqueceu tudo o que tinha acontecido antes.

Ela levantou a mão para apoiar a testa dela, mas tocou inadvertidamente a ferida que estava lá. Então ela se lembrou do que acabara de acontecer e ofegou.

"Você me bateu! E agora estou no hospital? O que aconteceu com minha irmã?" Ela sentou-se na cama e olhou para ele com os olhos arregalados.

A última coisa que ela lembrou foi que finalmente encontrara o quarto 168, onde podia ver um homem escondendo furtivamente pela porta para espionar o que estava acontecendo lá dentro.

Vendo isso, ela invadiu a sala sem hesitar, mas, antes que pudesse ver claramente o que estava acontecendo, um copo de vidro a atingiu.

"Eu bati em você por acidente, então eu trouxe você para o hospital", Kerr não queria enganá-la, então ele olhou para ela com franqueza e não negou nada.

Pelo contrário, esse lado dele a fazia se sentir em perigo, como se ele estivesse esperando que ele fosse responsável.

"Onde está minha irmã? O que você fez com ela?".

Sentada na cama, ela era um pouco mais alta que Kerr, então ela o agarrou facilmente pela gola da camisa e lançou-lhe um olhar ameaçador.

Ela nunca tinha sido uma mulher fraca. Lembrou-se de que quando se apressou a entrar na sala privada, Kerr estava sozinho.

Por mais dissoluto que o homem fosse fora, ela nunca deixaria que ele tocasse alguém com quem ela se importasse.

"Está nervosa? Você está preocupada que eu possa machucar sua irmã? Ou você simplesmente não gosta que eu esteja com outras pessoas?".

Ele não estava preocupado com o comportamento de Nicole, pelo contrário, ele estava simplesmente tratando-a como um irmão, sem perder nenhuma emoção que pudesse aparecer em olhos dela.

"Eu não ligo para quantas mulheres você tem, desde que você deixe minha irmã em paz."

Uma coisa era que ela não o responsabilizou pelo que havia acontecido sete anos atrás, afinal, foi ela quem entrou na sala errada. Mas se ele agora prestasse toda a atenção para sua irmã, ela nunca o perdoaria.

Mesmo que ele fosse o pai de Brook, ela não o deixaria ir tão facilmente.

"O que você faria se eu dissesse que só quero você?" Ele disse quase sem pensar, notando a expressão nervosa no rosto de Nicole, e estando tão perto, ele podia definitivamente respirar o aroma dela.

Ele não reagiu à irmã dela, mas agora, apenas por estar perto dela, sentiu todo o corpo tenso.

"Você... não fale bobagem", ela afrouxou o aperto, sentindo-se um pouco envergonhada. Então ela virou a cabeça para o outro lado, na tentativa de fugir de Kerr. No entanto, falhou, quando ele estendeu a mão e segurou gentilmente bochechas dela para olhá-la de perto.

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas