Lera > Romance > O poder é dela

   Capítulo 2 Quem manda aqui

O poder é dela Por Key?? Personagens: 5020

Atualizado: 2021-01-20 11:23


Jullia com seus dedos finos e brancos coloca a mão dentro da bolsa e pega seu celular. Mas quando ela estava desbloqueando o celular ela ouve o som de freios do lado de fora da porta. Olhando pra fora Jullia vê que é o carro de seu pai e abre o sorriso mais brilhante que seus dentes de marfim podem oferecer.

" agora você vai ver quem manda nessa cidade" e depois de dizer isso ela empina o nariz e sorri ainda mais desdenhosa.

"Claro que sim" com seu ar de raposa Ella também sorri. O Sr. Cláudio entra e agarra no braço de Jullia com força e pergunta com raiva na voz " Oque você fez dessa vez sua idiota?"

Olhando para o pai vermelho até a careca de raiva Jullia diz com os olhos enchendo de lágrimas " O que eu fiz de errado papai? Eu sou a sua filha e posso pedir serviços aonde eu quiser nessa cidade!!"

"PERDÃO?!?!" Ella perdida no que a Jullia disse com tanta raiva que seu rosto queimou em vermelho sangue.

Roxo de medo e com suor frio correndo profusamente de sua cabeça careca Cláudio Fillip diz em voz alta e fina "CALE A BOCA SUA IMBECIL VOCÊ NÃO ESTA VENDO QUE ESTAMOS DIANTE DA MADAME PERSÉFONE?!?!"

"Como? Papai deixa de ser bobo essa daí é a Ella! Ella Rudson minha ex colega de sala, lembra? Aquela que o pai era um bandido é morreu antes dela graduar? Nossa papai até parece que aquela garota franzida poderia ter herdado o legado do pai dela! Hahaha isso é ridículo!!" Jullia diz com um misto de humor e desdém, porém, quando ela terminou de falar ela desejou de toda sua alma não ter feito ou dito nada do que ela fez nós últimos 3 meses, porque desde quando Jullia descobriu há três meses que C.E. Gloriosa pertencia a Ella Rudson a garota franzina e boba da sua faculdade ela decidiu se aproveitar e causar problemas usando todos seus pacotes de beleza gratuitamente. Mas agora olhando nos olhos do seu pai com misto de medo, culpa e desprezo pela sua falta de tato, Jullia não deixar de se dar um tapa de tão idiota que ela foi ao imaginar que Ella não teria força para receber o legado de seu pai.

Enquanto Jullia mudava de expressão entre desdém, medo e desespero o sorriso de raposa no rosto de Ella ia aumentando e se transformando em uma cara sinistra de Cheshire. " Bem Sr Fillip resolvo eu então!"

Vendo que não foi uma pergunta que Ella fez, no mesmo momento que dois homens grandes seguraram Jullia pelos braços Cláudio Fillip caiu de joelhos no chão não se importando com a quantidade de pessoas ao redor enquanto Jullia chorava e pedia "Por favor!! Ella!! nã

o faça nada comigo!! Pelo amor de Deus!!"

Dando uma gargalhada gutural Ella anda até Jullia ignorando ao Sr Fillip ainda ajoelhado e chorando, ela segura o queixo fino de Jullia e diz com uma voz incomunmente fria em seus lábios grossos " Deus? Depois de todo o mal que você fez e faz você tem a cara de rogar a Ele?"

Por sua vez o Sr Fillip fala com uma voz chorosa "Eu entendo que não eduquei bem minha filha, sei que a mimei de mais, porém, por favor Madame, pelo amor que você tem em seu falecido pai, deixe que eu a faça entender só dessa vez?"

Jullia grita com medo "SIM, SIM!! deixe meu pai cuidar de mim! Por favor? Ele pode me fazer entender.. Por favor!!" Ela diz chorando essa última parte.

" E como eu posso acreditar nisso? Porque não fazemos o seguinte? Eu como uma pessoa razoável vou pegar muito leve com você hoje! Mas, só por causa dos velhos tempos.. que tal?" Ella diz essas palavras com um rosto radiante.

Sem pensar duas vezes Sr Fillip responde com felicidade no olhar " Sim! Pode ser assim.. pelos velhos tempos, mesmo porque vocês são ex colegas de faculdade certo?" Jullia chora alto como se ela fosse com toda certeza morrer depois do que o pai dela disse, por outro lado o rosto triunfante de Ella não escondia a satisfação pelas palavras proferidas.

"Então venha comigo com seus próprios pés querida ex colega Jullia Fillip" e com um estalo de dedos os homens soltaram Jullia, que por sua vez cambaleou atrás de Ella até uma cadeira de cabelereiro. Quando Ella colocou em volta de seu pescoço uma proteção para aparar química, tintura é cabelo Jullia imaginou que fosse só um corte, mas, ela também pediu para a manicure mais nova do lugar se encarregar de tirar os aplique de gel de sua unha. " Madame eu sou nova nisso.." " Eu sei que você é nova aqui, foi eu que a contratei, lembra? Agora corte a merda e faça o que eu te mandei!!"

Enquanto a manicure se encarregava das unhas Ella pegou uma tesoura. "Ella querida eu não sabia que você tinha tantos talentos, você também sabe cuidar de cabelos?" Disse Jullia com uma voz trêmula e chorosa.

"Oh! Querida você acredita mesmo que sei cuidar de cabelos?" Depois disso com a tesoura na mão e uma gargalhada sinistra Ella começou a cortar seu cabelo desengonçadamente. Primeiro ela cortou de um lado, depois do outro, e quando não tinha mais cabelo pra cortar Ella pegou uma maquininha e terminou de raspar até o último fio. Cláudio do lado vendo tudo só podia chorar e se amaldiçoar por ter mimado tanto sua filha.

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas