Lera > Jovem Adulto > Amor Insuportável: CEO, Por Favor, Deixe-me Ir

   Capítulo 1 Reunião na noite chuvosa

Amor Insuportável: CEO, Por Favor, Deixe-me Ir Por Xiao Duoer Personagens: 8928

Atualizado: 2020-06-01 00:11


Era uma hora da manhã.

A cidade bem iluminada ainda estava completamente acordada. Cheia de multidões tagarelas, era como se a cidade nunca dormisse. Embora a chuva estivesse caindo forte nas calçadas, ainda não conseguia silenciar a atmosfera barulhenta. A cidade inteira estava envolta em névoa, que parecia muito com o futuro de Natalie An.

Parada em frente ao prédio da CL, Natalie An olhou para o relógio. O som da chuva nela a deixou ainda mais desconfortável.

Ela acabara de trabalhar horas extras. Se ela não voltasse e fosse para a cama rapidamente, não poderia acordar amanhã. Cerrando os dentes, ela segurou a bolsa nos braços e correu na chuva.

Pingos de chuva do tamanho de feijões caíam sobre seu corpo, mas, independentemente do mau tempo e da multidão, Natalie An estava determinada a voltar para casa. De repente, ele tropeçou em algo e caiu no chão antes que pudesse se conter.

A poça espirrou em seu rosto quando a dor tomou conta de seus membros. O pior foi que a bolsa que ele estava segurando já estava suja de lama. Independentemente da dor, Natalie An levantou-se lentamente com raiva, tentando descobrir o que a fez cair. No entanto, quando ela se virou, viu algo que quase a fez querer cair de novo.

Embora o beco estivesse cercado pela escuridão, ela podia ver claramente uma pessoa deitada no chão à sua frente. Ele estava ensopado em seu próprio sangue!

De repente, um trovão brilhou no céu. Seu coração estava batendo tão rápido que ela estava com medo de saltar do peito. Ela se levantou freneticamente e pegou sua bolsa. A última coisa que ela precisava era deixar que esse homem a metesse em problemas.

No entanto, não importa quantas vezes ela tentasse se afastar, ela simplesmente não conseguia sair.

Natalie An estava sozinha na chuva, ofegando por ar fresco. Ela pegou sua bolsa, imaginando o que deveria fazer.

Se ela o deixasse assim e ele morresse por causa disso, ela poderia ter indiretamente matado a pessoa! Ela não conseguia mais dormir bem!

Com um suspiro de resignação, ela verificou novamente. Se ele ainda estivesse vivo, ela ligaria para o número 120 e sairia.

Natalie An se aproximou dele. O homem ainda estava imóvel. De fato, era difícil saber se ele ainda estava vivo no momento. Ela o empurrou para longe. "Você ainda está vivo?" Ela sussurrou.

Não passo nada.

Ela o empurrou de volta. "Podes escutarme? Senhor, por favor acorde. "

Ainda não havia movimento.

Ela cobriu o rosto com a mão e, quando sentiu a respiração dele na mão, quase recuou de alívio. Era bom que ela não fugisse como queria, ou poderia causar a morte do homem.

"Esperar. Vou ligar para a ambulância e levá-lo ao hospital. " Natalie An tirou o telefone do bolso.

De repente, o homem estendeu a mão e agarrou seu pulso.

Sendo pega de surpresa, Natalie An tropeçou inconscientemente. Ela largou o telefone e apertou.

"Não o faça!" Carter Tan disse fracamente. Sua tontura resultou em sua falta de consciência. Mesmo as gotas de chuva colidindo com seu corpo não foram suficientes para mantê-lo acordado.

Surpresa, Natalie se inclinou para mais perto, incapaz de ouvi-lo nesta tempestade.

"O que?"

Ela tremeu, mas ele não respondeu. Depois de esperar muito tempo, Natalie avançou lentamente.

"Ouve! O que você acabou de dizer?" Ela tentou empurrá-lo de volta. No entanto, quando a ponta do dedo roçou na pele dele, ela a retirou quase imediatamente.

Eu tive febre!

Para confirmar seus próprios pensamentos, Natalie estendeu a mão para escovar os cabelos molhados da testa para sentir sua temperatura. Eu tive febre!

Na penumbra, ela decidiu aproveitar esta oportunidade para observá-lo.

Sua mandíbula parecia ter sido criada pelo próprio Deus. Mesmo se ele estivesse bagunçado nas calçadas, ele ainda estava bonito. Ela não pôde deixar de se aproximar, se perguntando por que a pessoa parecia tão familiar.

Enquanto Natalie o observava, uma ideia lhe ocorreu.

Foi ele! Foi ele! Como eu poderia ter esquecido? Mesmo que ele se tornasse um balde de cinzas, ela ainda não esqueceria o homem por quem se apaixonou por três anos.

Seu coração estava batendo forte no peito quando ela pegou o telefone para ligar para a ambulância. "Este é o Hospital do Povo? Alguém ficou ferido e desmaiou. Eles estavam em..." ela informou o homem de sua localização.

Depois de desligar o telefone, ela olhou para ele como se ele ainda estivesse em transe. A pessoa de

itada na frente dela era a pessoa com quem sonhava há três anos ...

Ele finalmente estava aqui.

Quando Carter Tan recuperou a consciência, tudo o que pôde ver foram móveis brancos e uma mulher estranha parada ao lado dele.

"Está acordado? Vou ligar para o médico! Natalie se levantou apressadamente.

'Médico?' Foi então que ele percebeu onde estava. Aquela maldita mulher o levou para o hospital!

Carter Tan cerrou os dentes. Bem, era óbvio que ele não poderia ficar aqui por muito tempo ou o cara poderia encontrá-lo. Ele se esforçou para se sentar e puxou a agulha da mão. Independentemente do sangue espirrando nos lençóis, ele saiu da cama e tropeçou em direção à porta.

"O que você está fazendo?" Ouvindo o barulho, Natalie rapidamente se virou para apoiá-lo. "Você ainda tem febre. Volte e deite-se. "

Carter Tan franziu o cenho. "Me ajude a sair daqui ou ir embora!"

Ela recuou diante da atitude dele. "Olá? De onde estou, sou eu quem salvou sua vida! "

"O único que você vai ser é a mulher que me leva mais perto do meu leito de morte!" Carter Tan zombou. Sem outra palavra, ele a sacudiu e começou a andar ainda mais rápido.

"Que queres dizer? Ouve! " Natalie o seguiu. Ele realmente não se importava enquanto examinava o ambiente, tentando encontrar um lugar onde pudesse ir.

Havia vários homens de terno preto no próximo corredor. Ele estava prestes a ir para o outro lado quando perceberam. "Por ai! Pegue! "

"Venha!" Segurando a mão de Natalie, Carter Tan correu para o outro lado.

Natalie nem teve tempo de reagir. Ela seguiu sem fôlego. "Príncipe Encantado, por que eles estão te perseguindo?"

Em uma explosão de pânico, ela não pôde deixar de chamá-lo pelo apelido.

"Por ai!" Os homens de preto seguiram de perto enquanto corriam do hospital. Onde quer que fossem, estavam determinados a ir atrás deles.

Natalie estava sem fôlego. Até Carter já estava suando. Ele estava prestes a desmaiar a qualquer momento.

Quando eles atravessaram a ponte, ela parou. "Voce tem medo de altura?"

"Do que?" Eu não conseguia mais entender suas palavras.

"É muito tarde. Subir." Carter nem sequer lhe deu a chance de pensar sobre isso. Ele rapidamente a ajudou a subir os trilhos.

Natalie relutantemente subiu. Não foi até que o vento frio a acordou que ela percebeu o que ele pretendia fazer.

As pernas dela estavam tremendo. "Vamos morrer por amor, príncipe encantado?" ela gritou.

Carter olhou para ela e sorriu.

Nos últimos três anos desde que me apaixonei por ele, foi a única vez que o vi sorrir.

"Baixo!" Um grupo de homens correu na direção deles.

Antes que ela pudesse dizer qualquer coisa, Carter a derrubou.

Natalie gritou quando as ondas de frio a encontraram. A água entrou em sua garganta, deixando-a sem fôlego. Ele ofegou por ar enquanto espirrava. Ele estava morrendo?

Nunca lhe ocorreu que ele viveria tanto tempo apenas para morrer às custas de algum homem.

De repente, um par de mãos fortes a segurou e a puxou para fora das ondas furiosas. Ela engasgou uma vez que encontrou ar fresco enquanto se agarrava ao homem, temendo que, se o soltasse, mergulharia no abismo sem fim.

Finalmente, ela viu a luz.

Com os braços em volta do pescoço de Carter, ela tossiu violentamente até o rosto ficar vermelho. "Estamos, estamos no céu?" ela disse fracamente.

"Sim." Carter riu enquanto nadava em direção à terra.

Uma rajada de vento frio soprou neles, fazendo-a estremecer. Suas roupas estavam grudadas no corpo, destacando sua pele branca como a neve e suas curvas requintadas. Mesmo que a noite estivesse escura, ele podia sentir a temperatura subir pelo seu corpo.

Eles se entreolharam.

Natalie congelou. Desde que Carter se formou, ele nunca pensou que eles se encontrariam novamente. Na verdade, ela nem pensou que seria tão perto dele. Foi como um sonho.

A ilusão de alguma forma a surpreendeu.

Suas roupas molhadas o faziam sentir frio, mas ele sentia seu corpo esquentar mais e mais. Com Natalie ao seu redor assim, ele imediatamente acelerou o passo em direção à margem do rio antes de colocá-la no chão. Eu estava prestes a deixá-la assim.

Natalie franziu a testa para o seu comportamento frio. "Príncipe Encantado, onde você está indo?" ele gaguejou enquanto corria atrás dele.

"Príncipe encantador?" Carter finalmente parou quando se virou para ela com um sorriso incompreensível deslizando em seus lábios. "Nos conhecemos?"

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas