Lera > Bilionários > A Queridinha do Bilionário

   Capítulo 3 O Tiro

A Queridinha do Bilionário Por Nicole Feitosa Personagens: 9046

Atualizado: 2021-06-11 06:13


Melissa: "Do que você está falando?"

Charlotte: "Sabe o meu chefe, Henry Lockwood?"

(É o cara em quem literalmente esbarrei hoje mais cedo.)

Melissa: "Humm...sim."

Charlotte: "Ele precisa de alguém que finja ser sua namorada por cerca de três semanas. E, durante esse tempo, você receberia um pagamento semanal por seus serviços."

(Eu receberia para namorar com ele? Parece um serviço fácil.)

Melissa: "Isso é quase bom de mais para ser verdade, mas o que exatamente estaria envolvido no serviço?"

Charlotte: "Você não será paga para fazer sexo, só para deixar claro. Receberá pra sorrir para as câmeras...ou para segurar a mão dele quando outras pessoas estiverem por perto. E, além disso, você receberá todas as vantagens de ser a namorada dele."

Melissa: "Espere, eu não entendo o que está acontecendo."

(O que mais me interessa e me intriga, é o fato de o Henry precisar de uma namorada de mentirinha. Por que ele precisa de uma?)

Melissa: "Por quê Henry Lockwood pagaria para ter uma namorada de mentirinha? Tenho certeza de que ele poderia encontrar uma namorada de verdade num piscar de olhos."

Charlotte: "Ele não quer uma namorada de verdade, ele quer um relacionamento pré-definido e nitidamente regulamentado. Uma transação comercial com uma desconhecida."

Melissa: "Bem, na verdade..."

Charlotte: "O quê?"

Melissa: "Tecnicamente, o Henry e eu não somos completos desconhecidos. Eu já o encontrei uma vez."

Charlotte: "Como assim? Você já o encontrou? Onde?"

Melissa: "Ele visitou nossa faculdade e acidentalmente nos esbarramos."

Charlotte: "Humm...isso é perfeito! Nós poderíamos usar essa história, mas preciso pensar bem nisso."

Melissa: "Ei, só para lembrar...eu ainda não concordei com nada."

Charlotte: "Por que você cogitaria rejeitar isso? É uma oportunidade única."

Melissa: "Pode ser..."

(Esta história de namorar o Henry, é muito para assimilar.)

Melissa: "Estou tentada a aceitar esta oferta...mas há muitas coisas há serem consideradas. Fingir ser namorada do Henry com certeza mudaria a minha vida."

Charlotte: "Sim, mas e daí? Isto só te faria ser mais popular."

Melissa: "Não sei...digamos que estou definitivamente interessada, mas preciso pensar a respeito."

Charlotte: "Só por garantia. Está bem, me dê a resposta amanhã."

Melissa: "Pode deixar, até mais."

Charlotte: "Estarei aguardando sua ligação."

(Que dia)

Melissa: "Olá? Sim, é ela. Não... não! Não pode ser, estarei aí daqui a pouco."

(Alguém atirou no meu pai! Eu preciso ir vê-lo. Meu pai é policial, depois que minha mãe faleceu, ele me criou sozinho. Quando eu precisei me mudar para mais perto da faculdade, ele me apoiou...e mesmo que não nos encontremos tanto quanto antes, ainda somos bem próximos. Eu sabia que seu emprego era perigoso, mais eu esperava nunca receber esse tipo de ligação.)

Adam: "Melissa!"

Melissa: "Meu Deus, pai. Que bom que você está bem, como se sente?"

Adam: "Apesar de algumas pontadas, mas não se preocupe, isso não significa que eu não vá sobreviver."

Melissa: "Pai, você levou um tiro."

Adam: "Mas estou bem, não se preocupe é um ferimento leve."

Melissa: "Ainda assim, pensar que alguém mirou uma arma para você é assustador. Você pode me contar o que aconteceu?

Adam: "Eu fui em uma filial da Lockwood Corp. Nada de mais, mas vi o jovem Henry em pessoa. Ele estava conversando com um desconhecido em um carro, com um ar suspeito, eles conversavam sobre o pai dele. Então, recebi uma chamada sobre um tumulto no centro da cidade, fui lá ver o que estava acontecendo. Quem estava atrás de mim, me seguia a uma certa distância, eu não sei quem era. A pessoa atirou antes que eu pudesse dar uma boa olhada nela, felizmente, a bala acertou apenas o meu ombro."

Melissa: "Pai, conte mais sobre o envolvimento do Henry, você acha que o disparo tem ligação com a conversa que você ouviu?"

Adam: "A do Henry Lockwood?"

Melissa: "Sim."

Adam: "A localização indica que sim, mas eu não ouvi nada verdadeiramente suspeito."

Melissa: "Então o Lockwood é inocente nesta história?"

Adam: "Eu realmente não sei, está nas mãos dos meus colegas agora."

Melissa: "Oh, eu espero que eles capturem o responsável."

Adam: "Eu também espero, eu agradeço você vir visitar o seu velho. Mas eu não quero que você passe a noite no hospital."

Melissa: "Tem certeza de que não me quer assim?"

Adam: "Absoluta."

Melissa: "Por favor, fique bem logo, tá? Boa noite, pai."

Adam: "Boa noite, Melissa."

(Espere...aquele cara me parece familiar. Tenho certeza de que vi o rosto dele em

algum lugar na internet...verdade! Ele é Ares Osbourne, o primo de Henry Lockwood! Não acredito que encontrei outro cara rico hoje, agora ele me pegou o encarando e está me encarando de volta. Aja naturalmente.)

Ares: "Ei, você está bem? Você está pálida."

Melissa: "Humm...sim, só estou cansada."

Ares: "O quê te traz aqui tão tarde?"

Melissa: "Meu pai se machucou no trabalho, e você?"

Ares: "Estou apenas visitando uma parente, ela vai ter um filho."

Melissa: "Ah, que legal."

Ares: "Sim, ela tem mais ou menos a minha idade. Então, a minha família está começando a fazer perguntas constrangedoras. Sabe...coisas do tipo...quando você vai formar uma família? Nem me dão a chance de encontrar a pessoa certa, sabe? Mas estou me precipitando, me chamo Ares. Qual é o seu nome?"

Melissa: "Melissa!"

Ares: "Bem, prazer em te conhecer, colega visitante. Você está indo para casa?"

Melissa: "Sim, eu vou de metrô."

Ares: "De metrô, é? Sabe, eu não costumo oferecer isso, mas eu poderia te dar uma carona até a sua casa."

Melissa: "Eu não quero te atrapalhar."

Ares: "Imagina, a verdade é que uma companhia me faria bem no momento. Graças ao meu primo Henry, eu tive um dia bem longo. Seria mais divertido para mim voltar à cidade com alguém para conversar, nós até poderíamos parar pra tomar um café no caminho. Nós teríamos mais tempo para conversar se você não tivesse um metrô para pegar."

Melissa: "Mas..."

Ares: "Olha, se não confia em mim, isso é totalmente compreensível. Afinal de contas, sou um desconhecido. Se te deixa mais confortável, nós poderíamos simplesmente ir na cafeteria do hospital."

Melissa: "Ei, eu aceito a sua carona. Mas não posso tomar café com você, acordo cedo amanhã."

Ares: "Já que é assim, vamos!"

(Ares é o primeiro bilionário que vejo ter uma atitude tão doce, ele gentilmente abriu a porta do carro pra mim e colocou o meu sinto.)

Melissa: "Você é sempre assim?"

Ares: "Assim como?"

Melissa: "Gentil, meigo, doce e seus olhos...eles..."

Ares: "Sou, mas não com qualquer uma."

Melissa: "Mas deveria ser."

Ares: "Bem, isso é uma atitude um tanto quanto inesperável de um bilionário."

Melissa: "Eu pensei isso...foi mal."

Ares: "Todos tem seus próprios motivos para pensar dessa forma."

Melissa: "Meu apartamento está perto."

Ares: "Você mora sozinha?"

Melissa: "Sim, meu pai...ele mora um pouco longe. Eu tive que me mudar pra cá, por conta da faculdade."

Ares: "Que seria?"

Melissa: "A universidade em que seu tio, o Hunter Lockwood estudou."

Ares: "Ah, sim."

Melissa: "Pode me deixar aqui, eu vou a pé."

Ares: "Tem certeza?"

Melissa: "Sim."

Ares: "Certo."

Ele destravou a porta, e eu estava prestes a sair. Mas ele me puxou pela mão.

Ares: "Adorei te conhecer."

Fiquei surpreendida com a atitude dele, seus lábios encontraram os meus. Foi mágico, não acreditei no que havia acontecido.

(Que dia maluco, eu ainda não consigo acreditar que meu pai levou um tiro. E logo após ele ver Henry Lockwood agindo de forma suspeita, estes eventos de hoje devem ser coincidência. Esta é uma cidade grande, coincidências acontecem. Talvez eu devesse tirar vantagens delas, talvez eu devesse mergulhar nessa bagunça e investigar. E se Henry Lockwood estiver tentando esconder algo? A maioria dos artigos sobre ele parece ser propagandas disfarçadas de notícias, provavelmente o trabalho de uma minuciosa equipe de relações públicas. Isso me faz pensar que segredos obscuros ele está tentando esconder?"

Na manhã seguinte, vesti uma blusa branca, junto com uma calça estilo moletom de couro com listras de oncinha ao lado. Peguei uma bolsa preta e meus sapatos de oncinha.

Melissa: "Oi meninas."

Mirna: "Meus Deus! Você está linda, já quero esse look pra mim."

Cassidy: "Você realmente está bonita."

Mirna: "Menina, este visual é literalmente o melhor de todos. Você precisa me levar para fazer compras com você, garota."

Cassidy: "Chega de exagero, Mirna."

Mirna: "Tá bom. Então... você está procurando a Charlotte?"

Melissa: "Na verdade, sim."

Cassidy: "Ela está trabalhando no estágio."

Melissa: "Ah, sim. Eu vou mandar mensagem para ela, então."

Mirna: "Sim, faça isso."

Cassidy: "Estamos indo para a aula, até mais."

Melissa: "Tchau."

Bate papo:

Melissa: "Oi, Charlotte."

Charlotte: "Oi, e aí?"

Melissa: "Sobre o bilionário que você falou ontem a noite, você ainda precisa da minha ajuda."

Charlotte: "Preciso sim, mas eu posso tentar encontrar outra pessoa que se enquadre no perfil. Por que pergunta?"

Melissa: "Eu aceito, vou te ajudar."

(← Atalhos teclado) Anterior Conteúdos (Atalhos teclado →)
 Novels To Read Online Free

Digitalizar o código QR para baixar o Lera.

Volte para Topo

Partilhas